Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente da Turquia diz estar a usar todos os meios para combater a “onda de terrorismo”

  • 333

UMIT BEKTAS/REUTERS

A declaração surge após mais um ataque suicida ter causado quatro mortos e 36 feridos no sábado em Istambul

“A Turquia tem recentemente sido confrontada com uma das maiores e mais sangrentas ondas terroristas da sua história... O nosso Estado está a lutar contra as organizações terroristas e contra as forças por detrás delas com todos os meios que possuímos – os seus soldados, polícia, guardas de aldeias e os seus serviços secretos”, declarou esta segunda-feira o Presidente Tayyip Erdogan em Istambul.

A declaração surge depois de, no sábado, mais um ataque suicida ter tido lugar na cidade, causando a morte de três israelitas e de um iraniano e ainda 36 feridos, 11 dos quais israelitas.

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu disse que ainda estão a tentar apurar se o ataque teve especificamente como alvo cidadãos do seu país.

O principal partido da oposição na Turquia, o Partido Republicano do Povo, acusa o regime de Erdogan de estar a provocar a situação com a sua “política aventureira”, “contraditória” e “utópica” para o Médio Oriente e para as zonas de fronteira com a Síria.

Alguns críticos, entre os quais alguns aliados da Turquia (em opiniões expressas não oficialmente), consideram que o foco de Erdogan na luta contra os independentistas curdos leva a que não esteja centrado na luta contra o autodenominado Estado Islâmico (Daesh).

O ataque de sábado foi o quarto levado a cabo por bombistas suicidas na Turquia este ano. Os dois que tiveram lugar em Istambul foram atribuídos ao Daesh, enquanto os outros dois. ocorridos em Ancara, foram atribuídos a militantes curdos.