Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bélgica revela identidade do cúmplice de Salah Abdeslam. Está em fuga

  • 333

LAURENT DUBRULE/EPA

Chama-se Najim Laachraoui, tem 24 anos e suspeita-se que faz parte da rede que preparou os atentados de Paris em novembro do ano passado

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Najim Laachraoui, 24 anos. Este é o nome do jiadista alvo de uma caça ao homem nas últimas horas pela polícia belga e francesa. Trata-se de um dos cúmplices de Salah Abdeslam, detido na última sexta-feira em Bruxelas por suspeitas de encabeçar os ataques em Paris.

As autoridades revelaram há poucas horas a verdadeira identidade de Laachraoui, um dos três jiadistas que ajudou Abdeslam a esconder-se nos últimos meses. Usava a identidade falsa de Soufiane Kayal.

Nascido em maio de 1991, Najim Laachraoui terá combatido na Síria em 2013 tendo depois entrado na Europa em 2014.

O suspeito e o seu colega Salah Abdeslam, de 26 anos, foram identificados a bordo de um Mercedes quando atravessavam a fronteira entre a Hungria e a Áustria a 9 de setembro de 2015, dois meses antes dos atentados em França que mataram 130 pessoas. Ambos utilizavam bilhetes de identidades falsos.

Com eles ia Mohamed Belkaid, que também era procurado desde o ano passado. Este jiadista argelino de 35 anos foi abatido na última terça-feira no raide antiterrorista em Forest, Bruxelas.

O trio fez-se passar por turistas que ia visitar Viena, não levantando suspeitas às autoridades fronteiriças.

Em dezembro, a polícia também encontrou ADN deste suspeito sírio numa casa alugada em Auvelais, a sul da capital belga, e também num apartamento situado na Rue Henri Bergé, em Schaerbeek, arredores de Bruxelas. Ambos os locais foram utilizados pela célula terrorista que preparou os atentados em Paris. Estavam lá também impressões digitais de Abdeslam.

Os investigadores suspeitam que Laachraoui e Belkaid contactaram com alguns dos terroristas dos atentados de Paris por telefone horas antes de matarem 130 pessoas na sala de espetáculos do Bataclan, no Estádio de França e nos restaurantes e bares no centro da cidade.

Segundo informações oficiais, o primeiro terá telefonado ao mentor dos ataques, Abdelhamid Abaaoud, abatido na operação Saint-Denis, na Bélgica, dias depois das mortes em França.

Com a divulgação da identidade e de uma fotografia de Najim Laachraoui, as autoridades têm esperança de que possam obter mais pistas sobre o seu paradeiro.

Além de Laachraoui, a polícia procura também o paradeiro de um outro cúmplice, Mohamed Abrini, de 31 anos, que foi apanhado por uma câmara de vigilância juntamente com Abdeslam dois dias antes dos ataques em Paris, numa estação de serviço em Ressons-sur-Matz, numa autoestrada nos arredores da capital francesa.

Durante os interrogatórios a Salah Abdeslam, a polícia descobriu que o alegado terrorista estaria a ajudar a preparar um novo atentado.