Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Salah Abdeslam queria fazer-se explodir no Estádio de França

  • 333

HANDOUT

O cabecilha dos atentados de Paris começa a quebrar o silêncio. Diz que planeava explodir-se no Estádio de França, mas recuou no último minuto

Salah Abdeslam está a cumprir o que prometeu: cooperar com as autoridades. O cabecilha dos atentados de Paris revelou este sábado que tinha planeado fazer-se explodir no Estádio de França, no passado dia 13 de novembro. Mas à última hora desistiu.

A informação foi divulgada pelo procurador de Paris, François Molins, durante uma conferência de imprensa, sublinhando no entanto que todos os dados são ainda prematuros e carecem de investigação. “Salah Abdeslam foi uma peça central nos ataques de Paris, com um papel ao nível dos comandos e da logística em todo o plano dos atentados de 13 de novembro”, afirmou François Molins, citado pelo “Le Monde”.

O responsável adiantou ainda que o jovem francês, de 26 anos, detido esta sexta-feira em Bruxelas, tinha viajado para a Alemanha em outubro com outro cúmplice. As impressões digitais de ambos foram encontradas recentemente durante uma rusga a um apartamento em Forest.

Salah Abdeslam terá ainda alugado um carro para a deslocação ao sul da Alemanha e parado durante o percurso junto de um centro de refugiados da região. As autoridades acreditam que o terrorista terá angariado aí mais cúmplices e conseguido inclusivamente documentação de cidadãos sírios.

Terrorista recusa ser extraditado

Para o procurador francês, a detenção do cérebro os atentados de Paris constituiu um “imenso alívio especialmente para as famílias das vítimas dos ataques”, elogiando a cooperação exemplar das autoridades de França e Bélgica.

Este sábado, Salah Abdeslam foi formalmente acusado ede participação em homicídio terrorista, na sequência dos atentados em Paris que causaram 130 mortos e mais de 300 feridos no passado dia 23 de novembro. Apesar do pedido de França, a defesa garantiu que o cérebro dos ataques recusa ser extraditado para o país.

O terrorista passou esta noite no hospital, na sequência de ferimentos numa perna durante a operação policial, e foi transferido de ambulância esta tarde para uma prisão de alta segurança em Bruges.