Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Salah Abdeslam estaria a preparar ataque em Bruxelas

  • 333

HANDOUT

Autoridades belgas encontraram “armamento pesado” e uma “rede alargada de familiares e vizinhos” que ajudaram o alegado terrorista no bairro de Molenbeck durante mais de quatro meses após os ataques de Paris. Bruxelas seria o próximo alvo

Salah Abdeslam, o cabecilha dos atentados de Paris que foi capturado sexta-feira no bairro de Molenbeck, estaria a preparar um ataque em Bruxelas. A informação foi avançada este domingo pelo ministro dos Negócios Estrangeiros belga, Didier Reynders, durante uma conferência realizada pelo instituto norte-americano German Marshall Fund.

“Ele estaria pronto para atacar qualquer coisa em Bruxelas. Provavelmente era verdade, porque encontrámos muitas armas, armamento pesado, nas primeiras investigações, e encontrámos uma nova rede à sua volta em Bruxelas”, afirmou Didier Reynders, citado pela Reuters.

O MNE belga adiantou também que o número de suspeitos que terão estado envolvidos nos ataques de 13 de novembro é maior do que inicialmente se previa. “Temos a certeza nesta altura que encontrámos mais de 30 pessoas envolvidas nos atentados de Paris, e haverá ainda outras”, acrescentou.

Estas declarações do governante belga surgem no mesmo dia em que o advogado de Salah Abdeslam anunciou que irá apresentar uam queixa contra o procurador de Paris, François Molins, na sequência da divulgação de excertos do interrogatório do seu cliente. “A leitura de parte da audição de Abdeslam em conferência de imprensa constitui uma violação do segredo de Justiça”, disse Sven Mary ao jornal “Le Soir”.

No sábado, François Molins revelou que o alegado terrorista tinha planeado fazer-se explodir no Estádio de França, no dia 13 de novembro, acabando por desistir à última hora.

O procurador belga, Frederic Van Leeuw, disse por sua vez em entrevista à estação RTBF, que o alegado terrorista conseguiu escapar durante mais de quatro meses às autoridades, face à “solidariedade” de uma “rede alargada de vizinhos e familiares relacionada com tráfico de droga e pequeno crime” em Bruxelas.

Abdeslam foi formalmente acusado no sábado de participação em “homicídios terroristas” e “atividades de organização terrorista”. A defesa garantiu que o jovem francês irá cooperar com a Justiça belga, mas recusa ser extraditado para França.