Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um português entre os feridos do atentado na Turquia

  • 333

STRINGER/Reuters

O atentado, que ocorreu na Avenida Istiklal, a mais famosa artéria comercial do centro turístico de Istambul, na Turquia, resultou na morte de pelo menos cinco pessoas e feriu outras 36

A secretaria de Estado das Comunidades confirma que há um cidadão português entre os feridos no atentado de sábado de manhã, em Istambul. O Expresso soube que o português em causa chama-se António Duarte e trabalha na Celfocus, uma empresa de tecnologias de informação que resulta de uma parceria entre a Novabase e a Vodafone.

O português foi atingido por estilhaços da explosão e encontra-se hospitalizado, confirmou à SIC Notícias o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas. Segundo José Luis Carneiro, o português em causa encontra-se na Turquia a trabalhar numa empresa portuguesa.

Fonte oficial da Secretaria de Estado das Comunidades adiantou, entretanto, à Lusa que os ferimentos do cidadão português não têm gravidade. O português, que se encontra consciente, teve ferimentos no rosto e encontrava-se a sangrar de um ouvido. Foi submetido a uma TAC, que não apontou qualquer problema, pelo que deverá ter alta no domingo, acrescentou a mesma fonte.

Atentado na Avenida Istiklal, a mais famosa artéria comercial do centro turístico de Istambul

Uma explosão este sábado provocada alegadamente por um bombista suicida matou pelo menos cinco pessoas e feriu outras 36 na Avenida Istiklal, a mais famosa artéria comercial do centro turístico de Istambul, na Turquia. O governador de Istambul, Vasip Sahin, confirmou que se tratou de um atentado suicida e alegou que o autor da explosão teria como objetivo atingir um edifício da polícia num quarteirão vizinho.

De acordo com o Ministério da Saúde turco, sete dos 36 feridos encontram-se em estado grave. O atentado ainda não foi reivindicado, mas as autoridades turcas acreditam, como vem sendo hábito, que haja aqui mão do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão).

O ataque acontece menos de uma semana depois de terem morrido outras 37 pessoas num atentando em Ancara, reivindicado por um grupo terrorista curdo.

[NOTÍCIA ATUALIZADA ÀS 14H]