Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mulheres piloto aterraram pela primeira vez na Arábia Saudita

Chegaram aos comandos de um Boeing 787 Dreamliner ao único país do mundo onde as mulheres não podem sequer conduzir automóveis

A comandante Sharifah Czarena Surainy e as copilotos Dk Nadiah Pg Khashiem e Sariana Nordin fizeram história ao aterrarem o Boeing 787 Dremliner da Royal Brunei Airlines na Arábia Saudita.

Aconteceu no passado 23 de fevereiro, Dia Nacional do Brunei. Foi a primeira vez que aterrou na Arábia Saudita um avião exclusivamente comandado apenas por mulheres piloto.

“Ser piloto é normalmente visto como uma ocupação predominante masculina”, afirmou a comandante Surainy ao “The Brunei Times”. “Como mulher, uma mulher do Brunei, é um feito tão grande! Mostra mesmo à nova geração, ou especialmente às raparigas, que qualquer que seja o seu sonho elas podem concretizá-lo”, acrescentou.

Na Arábia Saudita, só no ano passado as mulheres passaram a poder votar, mas ainda continuam a não poder tirar a carta de condução. É, aliás, o único país do mundo onde não é permitido às mulheres conduzirem.

Apesar de não ser mesmo ilegal, na prática a carta de condução só é concedida aos homens. Mesmo as mulheres com carta obtida noutros países, se foram apanhadas a conduzir arriscam-se a ser multadas e detidas pela polícia.

A restrição obriga muitas das que têm mais posses a contratarem motoristas ou a terem de ser conduzidas no dia a dia por familiares.