Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mulheres piloto aterraram pela primeira vez na Arábia Saudita

  • 333

Chegaram aos comandos de um Boeing 787 Dreamliner ao único país do mundo onde as mulheres não podem sequer conduzir automóveis

A comandante Sharifah Czarena Surainy e as copilotos Dk Nadiah Pg Khashiem e Sariana Nordin fizeram história ao aterrarem o Boeing 787 Dremliner da Royal Brunei Airlines na Arábia Saudita.

Aconteceu no passado 23 de fevereiro, Dia Nacional do Brunei. Foi a primeira vez que aterrou na Arábia Saudita um avião exclusivamente comandado apenas por mulheres piloto.

“Ser piloto é normalmente visto como uma ocupação predominante masculina”, afirmou a comandante Surainy ao “The Brunei Times”. “Como mulher, uma mulher do Brunei, é um feito tão grande! Mostra mesmo à nova geração, ou especialmente às raparigas, que qualquer que seja o seu sonho elas podem concretizá-lo”, acrescentou.

Na Arábia Saudita, só no ano passado as mulheres passaram a poder votar, mas ainda continuam a não poder tirar a carta de condução. É, aliás, o único país do mundo onde não é permitido às mulheres conduzirem.

Apesar de não ser mesmo ilegal, na prática a carta de condução só é concedida aos homens. Mesmo as mulheres com carta obtida noutros países, se foram apanhadas a conduzir arriscam-se a ser multadas e detidas pela polícia.

A restrição obriga muitas das que têm mais posses a contratarem motoristas ou a terem de ser conduzidas no dia a dia por familiares.