Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mês passado foi o fevereiro com as temperaturas médias mais altas de sempre

  • 333

GETTY

Os especialistas advertem que está a acontecer algo sem precedentes. Já em dezembro e janeiro se tinham batido os recordes de temperatura médias mais altas, mas os níveis nunca tinham sido tão altos como os registados no mês passado

A temperatura média global do planeta bateu no mês passado um novo recorde. Foi o mês de fevereiro mais quente desde que se começou a compilar dados, em 1880.

Em comparação com os meses de fevereiro de 1951 a 1980, o mês passado teve uma temperatura média 1,35 graus centígrados superior, o que representa o maior desvio registado. Já os últimos meses de janeiro e dezembro tinham batido recordes, respetivamente, com mais 1,14 e 1,1 graus centígrados do que em iguais períodos desse intervalo temporal, que tem sido usado como análise comparativa.

A ocorrência do fenómeno meteorológico El Niño no Oceano Pacífico tem contribuído para a subida das médias. Já o mês de fevereiro de 1998, que detinha o recorde agora quebrado, contara com a ocorrência de um El Niño particularmente forte.

“Encontramo-nos numa espécie de emergência climatérica (…). Isto é mesmo impressionante... e completamente sem precedentes”, diz Stefan Rahmstorf, do germânico Instituto Potsdam para a Investigação sobre o Impacto Climatérico, citado pela Fairfax Media.

O El Niño soma-se ao efeito da emissão de gases poluentes e o anúncio do novo recorde de temperatura média mais alta ocorre depois de a NASA ter indicado, na semana passada, que o seu observatório no Havai registou em 2015 o maior aumento das emissões de gases de dióxido de carbono desde que há registos.

Ao longo dos últimos 12 meses a temperatura média global esteve um grau acima do registado desde finais do século XIX.