Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Piloto da Germanwings teve episódio de depressão psicótica meses antes do acidente

  • 333

Getty Images

O relatório final sobre o acidente provocado por Andreas Lubitz, em que morreram 150 pessoas, adianta que um dos vários médicos consultados pelo piloto recomendou o seu internamento num hospital psiquiátrico

Andreas Lubitz, o co-pilotou que em março de 2015 fez deliberadamente embater um avião da Germanwings contra uma montanha nos Alpes franceses, provocando a morte a todas as 150 pessoas a bordo, tinha manifestado meses antes sintomas indiciando um “episódio depressivo psicótico” revela o relatório final sobre o acidente, que adianta também que Lubitz consultou vários médicos após o problema. Um deles recomendou o seu internamento num hospital psiquiátrico

De acordo com a agência francesa BEA, autora do relatório, apesar deste parecer clínico nenhum dos especialistas alertou a Lufthansa, empresa para a qual trabalhava o piloto de 27 anos, e nenhum dos médicos aceitou falar com os investigadores. Ainda assim, foi possível aceder aos registos médicos detalhados de Andreas Lubitz, escreve o “The Guardian”.

No documento, os investigadores recomendam avaliações médicas mais frequentes para todos os pilotos que apresentem problemas psicológicos ou psiquiátricos, mesmo que menores. Sobre o sigilo médico que deve proteger o paciente, o relatório adianta que não deve ser posto em causa, mas as regras terão de contemplar a segurança pública.

O avião da Germanwings fazia a ligação entre Barcelona e Dusseldorf. Lubitz provocou a descida do aparelho e o embate, depois de bloquear o acesso do comandante ao cockpit.