Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Stephen Hawking quer que Reino Unido fique na União Europeia

  • 333

JUSTIN TALLIS / AFP / Getty Images

Famoso astrofísico é um de entre mais de 150 académicos britânicos que assinam uma carta aberta esta quinta-feira no “The Times” a defenderem a permanência no bloco e o “não” no referendo de junho. Última sondagem mostra que a maioria da população de seis estados-membros da UE está do mesmo lado da barricada

O astrofísico britânico Stephen Hawking está entre os mais de 150 académicos do Reino Unido que esta quinta-feira declaram o seu apoio à permanência na União Europeia, numa carta aberta publicada no "The Times" onde defendem que a saída do bloco europeu prejudicaria a ciência e a investigação.

"Neste momento recrutamos muitos dos nossos melhores investigadores na Europa continental, incluindo jovens que obtiveram bolsas da UE e que escolheram mudar-se para aqui", argumentam na missiva. “Se o Reino Unido deixar a UE e houver uma perda de liberdade de movimento dos cientistas entre o Reino Unido e a Europa, isso será um desastre para a ciência e para as universidades do Reino Unido.”

Os mais de 150 signatários são cientistas, matemáticos, engenheiros e economistas, professores e investigadores de Cambridge e de outras instituições, incluindo membros ou associados da prestigiada instituição britânica Royal Society e, refere o jornal, "três laureados Nobel".

Os britânicos são chamados a votar em referendo se querem continuar na União Europeia ou sair do bloco, o cenário batizado "Brexit". O plebiscito foi convocado pelo governo de David Cameron para 23 de junho, após o primeiro-ministro ter conseguido que as negociações de reforma da UE com os parceiros europeus, concluídas em fevereiro, dessem ao Reino Unido um "estatuto especial" entre os 28 estados-membros.

De acordo com uma sondagem divulgada esta quinta-feira pelo "Guardian", a maioria dos cidadãos de seis estados-membros da UE quer que o Reino Unido continue a fazer parte do bloco. No mesmo inquérito, levado a cabo pela Universidade de Edimburgo e por um think tank alemão junto de oito mil habitantes da Alemanha, França, Polónia, Irlanda, Espanha e Suécia, a maioria dos inquiridos diz ainda que o Reino Unido deve ser castigado se optar pela saída da UE.