Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vídeo de jornalista nua foi parar à internet, mas o pesadelo já acabou

  • 333

O tribunal determinou que Erin Andrews deve receber uma indenização no valor de 49 milhões de dólares

Getty Images

Corria o ano de 2008 quando Erin Andrews foi filmada nua no seu quarto de hotel. Agora o tribunal determina que a culpa é do homem que a filmou e das duas entidades que detêm o hotel, responsáveis por lhe pagar uma indemnização

Nesta história há um homem que filma uma mulher nua sem ela saber e depois publica o vídeo na internet, mas o tribunal decidiu que há três culpados: Michael David Barrett, que gravou o vídeo, e as duas entidades que detêm o hotel onde o vídeo foi gravado, cada uma condenada a pagar 27 milhões de dólares (24 milhões e meio de euros) de indemnização à vítima.

Recuemos a 2008. A jornalista desportiva norte-americana Erin Andrews, na altura com 31 anos, encontrava-se hospedada num hotel de Nashville, Tenessee, quando foi filmada nua através do buraco da fechadura da porta do seu quarto. Michael David Barret, o empresário de Chicago que alterou a fechadura para gravar o vídeo, fê-lo por dinheiro. Mas depois de o site TMZ ter recusado comprar a gravação ele próprio se encarregou de a divulgar na internet.

O julgamento, terminado esta semana, ditou que Barrett passe dois anos e meio na prisão pelo crime que confessou, mas também que a West End Partners, dona do hotel, e o Windsor Capital Group, seu operador, dividam com ele a culpa, pagando a meias uma indemnização de 54 milhões de dólares (49,8 milhões de euros) a Erin Andrews.

A jornalista já recorreu ao Twitter para reagir à decisão do tribunal, agradecendo "o apoio demonstrado por vítimas de todo mundo".

Conforme relata a BBC, durante o julgamento Andrews emocionou-se e disse que se sentiu na altura "envergonhada, humilhada, mortificada por causa do vídeo".

"Toda a gente dizia que eu tinha feito aquilo por publicidade e atenção, e isso destruiu-me", acrescentou a jornalista, em lágrimas.