Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia britânica quer população pronta para lidar com “ataques enormes” que Daesh está a planear

  • 333

Oli Scarff

Chefe de contraterrorismo da Polícia Metropolitana do Reino Unido pede aos britânicos, sobretudo londrinos, que sigam Twitter oficial das autoridades para estar a par de situações “rápidas, perigosas e provavelmente confusas”

A polícia britânica revelou na segunda-feira que vai usar o Twitter para manter o público informado sobre ataques terroristas que estejam a acontecer em território do Reino Unido, avisando que o país enfrenta uma ameaça de "ataques enormes e espetaculares" pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh). A notícia foi avançada pelo "The Independent", que cita o vice-comissário da Polícia Metropolitana britânica que é responsável pela unidade de contraterrorismo.

Mark Rowley diz que a aparente alteração de estratégia do grupo — que parece agora mais concentrado em atacar "o estilo de vida ocidental" e não as forças policiais ou militares — está a obrigar a polícia a alterar as suas táticas de resposta a eventuais ataques terroristas. A Scotland Yard, diz Rowley citado pelo mesmo jornal, está agora preparada para "abordagens mais rápidas e de precaução" que ajudem a limitar o número de vítimas mortais em cenários como o dos ataques em Paris, em que vários grupos de homens levam a cabo ataques simultâneos em várias partes de uma grande cidade.

Nos últimos três anos, aponta o "The Independent" citando contas da polícia, o número de detenções relacionadas com suspeitas atividades terroristas aumentou 57% em comparação com os três anos anteriores. "Nos últimos meses vimos mais planos para atacar o estilo de vida ocidental. [O Daesh] está a deixar de tomar a polícia e o exército como símbolos do Estado e está a mudar o foco para algo mais abrangente", diz Rowley. "Estamos a falar de um grupo terrorista que tem grandes ambições para ataques enormes e espetaculares, não apenas o tipo de ataques que temos evitado até à data [na Grã-Bretanha."

Rowley diz que, a partir de agora, os diferentes ramos da polícia britânica vão usar o Twitter para aconselhar a população durante eventuais atentados, incluindo para aplicar a estratégia de "Corram, Escondam-se, Denunciem" que foi delineada no ano passado. A polícia quer por isso que os londrinos sigam a sua conta oficial no Twitter para garantir que recebem atualizações constantes durante uma situação que deverá ser "perigosa, que se altera rapidamente e provavelmente confusa".