Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Netanyahu cancela visita aos EUA e recusa encontro com Obama

  • 333

Os dois líderes encontraram-se pela última vez em outubro de 2014

Jason Reed / Reuters

Primeiro-ministro israelita tinha pedido reunião com o Presidente norte-americano para “18 ou 19 de março”, aquando da sua visita a Washington. Planos foram cancelados e Casa Branca diz que só soube disso pelos media

Para quem tem acompanhado com atenção as relações entre Estados Unidos e Israel nos últimos anos, este é só mais um episódio no difícil relacionamento entre o Presidente norte-americano, Barack Obama, e o chefe do executivo hebraico, Benjamin Netanyahu.

Depois de o gabinete do primeiro-ministro israelita ter pedido à Casa Branca para marcar um encontro entre ambos, aquando da visita de Netanyahu a Washington em meados de março, fontes da Casa Branca manifestaram esta terça-feira a sua "surpresa" por terem sabido através da comunicação social que Netanyahu já não vai aos Estados Unidos nem pretende encontrar-se com Obama.

"Estávamos a antecipar um encontro bilateral e ficámos surpreendidos ao saber por notícias nos media que o primeiro-ministro [israelita], ao invés de aceitar o nosso convite, optou por cancelar a sua visita", disse o porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca, Ned Price, num email enviado aos jornalistas esta manhã. "As notícias de que não estávamos dispostos a acomodar a agenda do primeiro-ministro são falsas", acrescentou.

A Reuters avança que em causa poderá ter estado o plano de Obama de viajar até Havana entre 21 e 22 de março, naquela que será a sua primeira visita oficial a Cuba desde que os dois países retomaram as relações em 2015 após décadas de embargo económico imposto à ilha comunista durante a chamada crise dos mísseis cubanos, no início da década de 60.

A mesma agência cita a Casa Branca dizendo que o governo israelita tinha pedido que o encontro com Obama acontecesse ou a 18 ou a 19 de março e que, há duas semanas, o gabinete do Presidente norte-americano sugeriu que a reunião tivesse lugar no primeiro desses dois dias.

O gabinete de Netanyahu ainda não justificou oficialmente o cancelamento da viagem, que acontece numa altura em que os dois aliados tentam renegociar o pacote de ajuda militar dos EUA a Israel por mais dez anos. Citando fontes do governo hebraico sob anonimato, o Canal 10 israelita diz que a viagem foi cancelada por causa da "relutância" do primeiro-ministro em "interferir na campanha presidencial norte-americana" caso algum dos pré-candidatos presidenciais quisesse encontrar-se com ele em Washington. Postura contrária à que manifestou em março do ano passado, quando aceitou um convite dos republicanos para discursar no Congresso norte-americano sem dar cavaco à Casa Branca.

O mesmo canal diz que Netanyahu considera que ainda é cedo para viajar até aos EUA no âmbito do Memorando de Entendimento na área da Defesa que está a negociar com os norte-americanos porque esse acordo "está longe de estar concluído". Fontes citadas por outros canais israelitas dizem que não foi encontrada uma altura boa para o encontro entre Netanyahu e Obama ter lugar antes de o Presidente dos EUA partir para Cuba.