Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Missionário americano condenado a 40 anos de prisão por abusar de crianças no Quénia

  • 333

Os abusos ocorreram num centro de acolhimento de crianças negligenciadas. Matthew Lane Durham violou três raparigas de 5, 9 e 15 anos e molestou um rapaz de 12

Um tribunal queniano condenou esta segunda-feira o missionário norte-americano, Matthew Lane Durham, de 21 anos, a 40 anos de prisão por ter abusado sexualmente de crianças que haviam sido acolhidas no Upendo Children's Home de Nairobi em 2014.

“No período de apenas 33 dias”, escreveram os procuradores, Durham “violou três meninas de 5, 9 e 15 anos pelo menos oito vezes e molestou um rapaz de 12 anos por duas vezes”.

Durham ofereceu-se como voluntário para trabalhar no centro queniano de acolhimento de crianças negligenciadas. À chegada pediu para ficar instalado junto das crianças na escola e não nas instalações destinadas às famílias de apoio, alegando que ali estaria em “melhores condições” para dar assistência às crianças.

O juiz David Russel afirmou que o missionário foi “o pior pesadelo tornado real” destas crianças.

A sentença referiu ainda que as suas ações tiveram um “efeito perturbador para as vidas de dezenas de voluntários estrangeiros no Quénia e em qualquer lugar, que têm agora de viver sobre a nuvem da suspeita... existe uma perceção real entre a comunidade local de Upendo que mais pedófilos se encontram entre os voluntários, em especial os voluntários masculinos”.

Para além da pena de prisão, o tribunal condenou ainda o voluntário ao pagamento de uma indemnização de 14.400 euros.