Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Erdogan: “A mulher é antes de tudo uma mãe”

  • 333

OZAN KOSE/ Getty Images

O presidente turco foi ovacionado por uma plateia maioritariamente feminina, em Ancara. No Dia Internacional da Mulher, na Turquia, foi marcado por manifestações denunciando a “hegemonia masculina”

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou esta terça-feira que para si "a mulher é antes de tudo uma mãe", durante o Dia Internacional dos Direitos das Mulheres, marcada no país por manifestações denunciando a "hegemonia masculina".

Perante uma assembleia feminina em Ancara que o ovacionou, o conservador islamita Erdogan afirmou: "Sei que ainda há alguns que ficam incomodados, mas para mim a mulher é antes de tudo uma mãe".

O homem forte da Turquia, que dirige o país desde 2002, insurgiu-se contra o sistema capitalista, que acusou de "escravizar" as mulheres por razões económicas e sublinhou a necessidade de "salvaguardar a família".

Erdogan tem tido várias afirmações polémicas sobre a mulher. Já garantiu que as feministas "não têm nada a ver com a civilização e religião" dos turcos e que a igualdade entre homens e mulheres é "contra natura".

Também já militou, com a sua esposa e as suas filhas cobertas, contra o aborto, descrito como um "crime contra a Humanidade" e denunciou a "traição a gerações de turcos", que representa aos seus olhos o planeamento familiar.

A oposição e os movimentos feministas turcas criticam o regime de Erdogan por manter as violências contra as mulheres, com base em preconceitos religiosos.
O número de casos de violência contra mulheres está em forte aumento na Turquia. Em cada dia, são assassinadas em média duas mulheres.

Na noite de terça-feira, milhares de mulheres reuniram-se em Istambul, na Avenida Istiklal, para denunciar a dominação masculina da sociedade turca, gritando palavras de ordem como "queremos a igualdade" ou "atenção Tayyip, estamos aqui", constatou uma jornalista da AFP.