Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Costa: Portugal está a dar o exemplo no acolhimento dos refugiados

  • 333

HUGO DELGADO / Lusa

À entrada da reunião dos líderes europeus, em Bruxelas, António Costa considerou que é essencial reafirmar o compromisso de garantir a proteção dos refugiados e do espaço Schengen

O primeiro-ministro defendeu na manhã desta segunda-feira, em Bruxelas, que é vital assegurar o espaço de livre circulação na União Europeia, que deve continuar a ser “uma das liberdades fundamentais” da UE.

“É preciso garantir que esta Europa vai continuar a ser a Europa de Schengen, que tem uma única fronteira externa pela qual todos devemos ser solidariamente responsáveis, mas que não deve estar dividida em nenhuma fronteira interna. A liberdade de circulação tem que continuar a ser uma das liberdades fundamentais desta Europa”, declarou António Costa aos jornalistas, à entrada da reunião dos líderes dos 28 com o primeiro-ministro turco na capital belga.

Relativamente à crise dos refugiados, o primeiro-ministro defendeu que é essencial que a União Europeia reafirme em primeiro lugar o seu compromisso em garantir a proteção dos refugiados que são vítimas de perseguição, de guerras e da falta de liberdade. Insistindo na ideia de solidariedade, António Costa sustentou que os Estados-membros devem repartir de “forma justa e empenhada” a quota de refugiados, frisando que Portugal está a dar o exemplo neste âmbito.

“A boa notícia é que finalmente os mecanismos de acolhimento estão a funcionar. Hoje mesmo nós pudemos receber um avião vindo diretamente da Grécia com 64 refugiados, até ao longo desta semana prevemos poder receber mais 50 refugiados que estão a ser acolhidos e que desejavelmente se integrarão na nossa sociedade”, adiantou.

Por outro lado, o governante português considerou que o diálogo entre a União Europeia e a Turquia tem que ser “abrangente”, não se restringindo à questão dos refugiados. “Isto tem que ver com a eterna negociação da adesão da Turquia à UE, tem que ver com a cooperação económica, com o diálogo em torno dos refugiados, mas tem também que ver com o diálogo em torno dos direitos humanos e as liberdades fundamentais. Isso também tem que fazer parte do nosso diálogo”.

Para António Costa é fundamental que a UE mantenha com a Turquia um relacionamento “responsável e construtivo”, de forma a permitir uma maior aproximação com o bloco e uma transição política positiva no país.

À entrada da reunião em Bruxelas, o chefe do governo turco, Ahmet Davutoglu, afirmou que o objetivo do país será também discutir a adesão à UE. “A Turquia está pronta para trabalhar com a União Europeia e a cimeira desta segunda-feira não se vai apenas focar na migração social, mas também no processo turco de adesão ao bloco.”