Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Clinton e Sanders batem-se pelo Michigan em debate na “cidade envenenada”

  • 333

Scott Olson

A CNN escolheu Flint como palco de mais um debate democrata, em vésperas de os dois pré-candidatos do partido disputarem 147 delegados eleitorais no coração da indústria norte-americana

Bernie Sanders e Hillary Clinton tinham acabado de subir ao palco para darem início a mais um debate de rivais no domingo à noite, madrugada desta segunda-feira em Portugal, quando a Associated Press confirmou que o senador pelo Vermont venceu os caucuses democráticos do Maine. Foi a sua oitava vitória desde o início do processo de primárias, de onde irá sair um candidato por partido para disputar as presidenciais em novembro — depois de Clinton ter vencido a votação no Luisiana no chamado "super sábado", confirmando a liderança da corrida democrata.

Agora concentrados no Michigan — estado que vai a votos esta terça-feira e onde Sanders e Clinton disputam 147 delegados eleitorais — os dois pré-candidatos democratas participaram num novo debate televisivo, transmitido pela CNN a partir de Flint, a cidade onde as autoridades mantiveram em segredo nos últimos anos o facto de a água distribuída pela rede de saneamento estar contaminada com altos níveis de chumbo. Ambos aproveitaram as atenções sobre a cidade para exigirem a demissão do governador do Michigan, Rick Snyder, o único de dois consensos no debate — o segundo foram as já costumeiras críticas ao circo montado entre os rivais republicanos: "Quando vemos os debates republicanos, sabemos que precisamos de investir na saúde mental", declarou Sanders.

O debate desta madrugada, descrito pelos media como "aceso e com conteúdo", esteve entrado na incontornável questão dos resgates financeiros nos Estados Unidos, um tema de redobrada importância no Michigan, cuja cidade de Detroit, epicentro do setor automóvel norte-americano, foi alvo de uma série de bailouts desde o estalar da crise em 2008.

Clinton atacou Sanders pelo facto de se ter oposto a esses resgates, ao que o senador respondeu: "Se está a falar sobre o bailout levado a cabo por Wall Street, em que os seus amigos destruíram a economia..." Clinton tentou interrompê-lo sem sucesso e Sanders continuou com as críticas à ex-Secretária de Estado, pelos sucessivos acordos comerciais internacionais em que esteve envolvida, que tiraram postos de trabalho aos norte-americanos. "Perdemos 60 mil fábricas desde 2011. Se eu for Presidente, vamos começar a investir neste país, não na China nem no México", declarou Sanders, numa renovada tentativa de atrair eleitores de colarinho azul num estado com profundas raízes industriais.

Amanhã, terça-feira, o estado do Michigan vai a votos em processo de primárias democratas e republicanas, com os candidatos do Grand Old Party (GOP) a disputarem 59 delegados eleitorais e os democratas uns estrondosos 147 delegados, que irão representá-los nas Convenções Nacionais dos respetivos partidos em julho. Também esta terça-feira há primárias democratas e republicanas no Mississipi (40 delegados eleitorais republicanos, 41 democratas) e caucuses republicanos no Idaho e no Hawai.