Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bilionário iraniano condenado à morte por contornar sanções apela da sentença

  • 333

reuters

O empresário Babak Zanjani foi detido em dezembro de 2013 e condenado este fim-de-semana à pena capital, por alegado desvio de 2,8 mil milhões de dólares em transações de petróleo que contornaram sanções internacionais impostas ao país

O bilionário iraniano Babak Zanjani, que no domingo foi condenado à morte no âmbito de um escândalo de fraude, vai interpôr recurso em tribunal contra a sentença, disse o seu advogado. "A sentença não é final e existe espaço para disputá-la", declarou Rasoul Kouhpayezadeh a uma agência de notícias iraniana, citado pela "Bloomberg". "Vamos com certeza combatê-la", garantiu.

Zanjani, que continua a negar ter cometido qualquer crime, é acusado de desviar 2,8 mil milhões de dólares (cerca de 2,5 mil milhões de euros) da petrolífera estatal National Iranian Oil Co. durante transações ilegais que tinham como objetivo contornar as sanções internacinais às exportações de crude.

O empresário foi detido no final de 2013, já após a eleição do Presidente reformista Hassan Rouhani, atualmente no poder. No ano seguinte, o ministro iraniano do Petróleo, Bijan Zanganeh, acusou-o de usar uma sucursal do seu banco, o First Islamic Investment Bank, com sede no Tajiquistão, para desviar o dinheiro público para fora do Irão durante a presidência de Mahmoud Ahmadinejad — na altura em que as sanções internacionais ao seu regime atingiram um dos seus picos, em 2012.

Essas sanções ao regime iraniano foram suspensas em outubro do ano passado, após o acordo "histórico" alcançado meses antes que autoriza que a comunidade internacional monitorize o programa nuclear do Irão.