Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Papa condena ataque que matou 16 pessoas num lar do Iémen

  • 333

Homens armados entraram numa instituição católica em Áden, onde funciona um lar de idosos, e dispararam sobre os trabalhadores

O Papa Francisco classificou de “diabólico” o ataque a um lar de idosos no Iémen, na sexta-feira, em que morreram pelo menos 16 pessoas, entre as quais quatro freiras.

Homens armados entraram num lar católico na cidade portuária de Áden e abriram fogo sobre os trabalhadores da instituição, depois de lhes terem amarrado as mãos atrás das costas e obrigado a sair para o jardim. “Ouvimos o som de tiros e, quando saimos vimos que estavam todos mortos no jardim”, descreveu um dos residentes do lar.

Ainda não se sabe o que motivou o massacre que não foi, até ao momento, reivindicado.

O Vaticano emitiu um comunicado em que transmite o estado de espírito do Papa Francisco, “chocado e profundamente triste com a notícia da morte de quatro missionários da Caridade e de doze outras pessoas no lar de idosos de Aden”.

O Papa diz ainda que vai orar pelos mortos e oferecer apoio espiritual às suas famílias, como a todos os que foram afetados por este “ato sem sentido e por esta violência diabólica”, informou o Cardeal Parolin, secretário de Estado do Vaticano.

Entre as vítimas deste ataque estão quatro freiras católicas da Índia, quatro enfermeiras, quatro elementos da segurança e pessoal da limpeza, revelou a Al Jazeera.

O Iémen está mergulhado numa guerra civil desde março passado, quando os rebeldes houthis obrigaram o então Presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi a fugir para a Arábia Saudita. Esta situação motivou a intervenção de uma coligação militar estrangeira, liderada pelos sauditas, que tenta restaurar o Governo de Hadi.