Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Disse que o mundo lhe agradeceria se matasse Donald Trump. Agora está preso

  • 333

Mark Wallheiser/ Getty Images

Emadeldin Elsayed é um egípcio de 23 anos que estuda aviação nos Estados Unidos. No mês passado foi detido: ele diz que foi por causa de um “post estúpido” sobre Trump, as autoridades negam

Porque é que o estudante egípcio Emadeldin Elsayed está em risco de ser deportado dos Estados Unidos? Depende de quem responder. Ele e o seu advogado, Hani Bushra, dizem que tudo se deve a uma publicação no Facebook em que o estudante escreve que "o mundo agradeceria se matasse Donald Trump"; as autoridades norte-americanas defendem que a ameaça de deportação se deve à sua entrada ilegal no país.

Elsayed, de 23 anos, não foi formalmente acusado de nenhum crime mas está detido numa prisão da Califórnia. À Associated Press diz, na prisão: "É apenas um post estúpido. Podem encontrar milhares desses de hora a hora no Facebook e nos jornais". "Não sei porque haveriam de pensar que sou uma ameaça à segurança dos Estados Unidos só por causa de um post estúpido", sublinha.

O advogado, citado pela BBC, confirma esta versão: "Parece que o Governo não arranjou uma acusação criminal para lhe impingir, por isso usou a desculpa do processo de migração para o expulsar do país".

Elsayed foi interrogado pela primeira vez por agentes dos serviços secretos norte-americanos no início de fevereiro, dias depois de ter publicado o texto da polémica no Facebook, irritado com os comentários de Trump sobre a imigração e a promessa de banir alguns muçulmanos do país.

Entretanto, o visto do aluno de aviação civil foi-lhe retirado, enquanto aguarda uma audiência em tribunal. Apesar de o alegado motivo consistir nas condições em que Elsayed entrou nos Estados Unidos, o estudante revelou à BBC que o agente que o interrogou mencionou os ataques de San Bernardino, perpetrados por um casal de muçulmanos, e a tragédia do 11 de setembro, pela qual foram responsáveis pilotos muçulmanos que como ele estavam a estudar aviação no país.