Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Condenado à morte jornalista que orquestrou assassinato de colegas

  • 333

FEISAL OMAR/REUTERS

Hassan Hanafi identificou para a Shebab, grupo jiadista ligado à Al-Qaeda, possíveis alvos e teve um papel central no assassinato de cinco jornalistas

O juiz de um tribunal militar da Somália condenou à morte Hassan Hanafi, considerando que entre 2007 e 2001 o jornalista identificou possíveis alvos para a Shebab, grupo jiadista ligado à Al-Qaeda, tendo orquestrado um plano que levou ao assassinato de cinco jornalistas.

“Hassan Hanafi é condenado à morte, após o tribunal o ter considerado culpado de todas as acusações de que era alvo”, afirmou o juíz Hassan Ali. “Todas as provas apresentadas em sustentação do caso e as testemunhas mostraram que teve um papel chave na orquestração e execução do assassinato de diversos jornalistas”, acrescentou.

Hanafi trabalhou para a Rádio Andalus, um órgão de comunicação da Shebab na Somália. Colaborando com a Shebab, chamava jornalistas e ameaçava-os de morte, caso se recusassem aderir ao grupo, segundo refere a BBC.

Mais de 25 jornalistas foram assassinados na Somália em 2007, segundo indicou o Comité para a Proteção dos Jornalistas.

Em 2014, Hanafi foi capturado no vizinho Quénia e levado para a Somália para ser julgado.
O tribunal militar determinou que a pena capital será executada por um pelotão de fuzilamento.