Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sánchez apela a Iglesias para permitir “governo de mudança”

  • 333

JAVIER SORIANO/GETTY

Líder socialista espanhol acusa Pablo Iglesias de “gripar o motor da mudança” ao votar contra a sua investidura, na sequência de um acordo com o partido Cidadãos. Em resposta, o líder do Podemos critica a aliança entre os dois partidos, dizendo que Albert Rivera é a “marioneta dos poderosos”

O secretário-geral do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) Pedro Sánchez apelou esta quarta-feira ao líder do Podemos para votar a favor da sua investidura, permitindo um “governo de mudança”.

Num debate tenso no congresso espanhol, o socialista acusou o líder do Podemos de “gripar o motor da mudança” ao vetar um executivo do PSOE na sequência de um acordo com o partido Cidadãos. “A classe média e trabalhadora que afastou o senhor Rajoy não merece nem uma hora a mais de um Governo do PP. Só há duas opções: a mudança ou a continuidade. Permita uma oportunidade de mudança”, declarou Pedro Sánchez dirigindo-se a Pablo Iglesias.

Em resposta, o líder do Podemos garantiu que irá votar contra a investidura do socialista, criticando ainda a aliança entre o PSOE e o Cidadãos, que apelidou de “laranja mecânica”.

“Vamos votar contra a sua investidura, senhor Sánchez, contra essa laranja mecânica. Se o PP é um partido corrupto, vocês têm sido servis com todos os poderosos e arrogantes com os mais débeis”, disse Iglesias, acusando Albert Rivera, líder do partido Cidadãos, de ser uma “marioneta dos poderosos.”

Afirmando que a política é a “arte de mudar as coisas” e não a “arte do engano”, o dirigente esquerdista defendeu que os dois partidos – PSOE e Cidadãos – estão aliados por uma questão de conveniência e exigiu respeito pela oposição.

“Eu não traio o meu povo. Tratemo-nos de igual para igual, não nos trate com displicência, tratem-nos com respeito. Nunca mais permitiremos o bipartidarismo e a arrogância dos hooligans socialistas”, acrescentou.

Na intervenção do líder do Cidadãos, Rivera reconheceu que o acordo alcançado com o PSOE é positivo mas pode ser ainda melhorado. “Escolhemos o caminho difícil, mas sem dúvida o correto. O fracasso não é uma opção, a única opção é avançar com um Governo reformista e com uma legislatura que coloque os espanhóis no lugar que lhes pertence.”

Contra às acusações do líder do Podemos, Rivera foi perentório: “Prefiro ser útil para os espanhóis e colocar em marcha as reformas a ser alguém importante.”