Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Meninas de nove e seis anos salvam a própria mãe. “Ela está fria e respira mal”

  • 333

Meninas mantiveram o sangue frio e ligaram para o número de emergência quando a mãe desmaiou no interior do carro. Lily e Eva já receberam um prémio de coragem, atribuído pelo chefe da polícia

Em novembro do ano passado, Claire Barber apanhou um grande susto: quando seguia de carro apenas acompanhada pelas duas filhas pequenas, começou a sentir-se mal e parou o veículo na berma da estrada, acabando por desmaiar. Durante os minutos seguintes permaneceu inconsciente mas Lily, de nove anos, e Eva, de seis, lidaram tão bem com a situação que agora fosram distinguidas com um prémio de coragem entregue pela polícia de Manchester, Inglaterra.

Depois de assistirem ao desmaio da mãe, as meninas, que estavam no banco de trás do carro, mantiveram o sangue frio e procuraram o telemóvel de Barber, conseguindo marcar o número de emergência. Seguiu-se uma conversa de 10 minutos com a operadora da Polícia de Manchester, Stephanie Baxter, em que as meninas deram indicações sobre o local onde se encontraram, para onde se dirigiam, o modelo do carro e até o historial clínico da mãe, relata o "The Guardian".

Na transcrição da conversa, que foi tornada pública pela polícia, Lily mantém o sangue frio e informa a operadora de que a mãe "está fria e a respirar mal", acrescentando: "Eu sei prestar primeiros socorros, mas não sou muito boa nisso".

Ao "Guardian", a mãe, que entretanto recuperou completamente, revela que está "extremamente orgulhosa de Lily e Eva". "Tentei ensinar-lhes o que devem fazer em caso de emergência, como contactar a polícia e o que dizer. Fiquei ainda mais impressionada com a forma como elas ouviram a operadora e se ouviram mutuamente enquanto aquilo acontecia", acrescenta Barber, que agradece a "todos os que estiveram envolvidos" no episódio.

Pelo seu sangue frio e a sua atuação exemplar, as meninas receberam certificados de coragem concedidos pelo chefe da Polícia de Manchester, Ian Hopkins, que conheceram pessoalmente. Hopkins elogiou Lily e Eva, dizendo que "é um verdadeiro privilégio conhecê-las e homenageá-las".