Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rússia acusada de bombardear rebeldes na Síria a poucas horas do cessar-fogo

  • 333

VIOLÊNCIA Local de um duplo atentado suicida, na cidade de Homs, no domingo. A maioria dos 46 mortos correspondia a civis

epa

Forças russas lançaram nova campanha de ataques aéreos nos arredores da capital, em Alepo e em Homs antes de trégua negociada entre Moscovo e Washington começar a ser implementada este sábado

A aviação russa que dá apoio às forças sírias bombardeou esta sexta-feira bastiões rebeldes na Síria, horas antes da entrada em vigor do cessar-fogo acordado para o país entre Moscovo e Washington, noticia a Reuters.

Citada por outros media, o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), uma organização não-governamental que monitoriza a guerra civil na Síria, avançou que "os bombardeamentos russos, mais intensos do que o habitual sobre bastiões rebeldes", começaram na noite de quinta-feira e prolongaram-se até esta manhã.

Os alvos foram Ghouta oriental, a leste de Damasco, o norte da província de Homs (no centro do país) e o oeste da província de Aleppo, no norte, segundo disse à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane.

Na quinta-feira, a maior coligação de grupos da oposição moderada a Bashar al-Assad prometeu respeitar o cessar-fogo que começa a ser implementado no sábado, dizendo que essa trégua permitirá perceber até que ponto os EUA e a Rússia estão comprometidos em acabar com a guerra na Síria, que em março entra no sexto ano consecutivo e que já provocou meio milhão de mortos e a pior crise de refugiados da história moderna mundial.

Também ontem, Barack Obama garantiu estar empenhado em alcançar um acordo de paz, sublinhando contudo que "há muitas razões para se estar cético" com este cessar-fogo e as possibilidades de pôr fim à sangrenta guerra iniciada em março de 2011.