Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alemanha perde rasto de 130 mil refugiados

  • 333

Carsten Koall/GETTY

As autoridades germânicas receiam que entre os refugiados desaparecidos possam estar jiadistas ou membros de grupos de crime organizado

O governo alemão admitiu esta sexta-feira que perdeu o rasto de 130 mil refugiados que tinham pedido asilo no país. Nesta altura é desconhecido o paradeiro de cerca de 13% de mais de um milhão de refugiados inscritos na Alemanha em 2015, segundo o Executivo de Angela Merkel.

O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, explicou que esses refugiados não chegaram aos centros de acolhimento, conforme estava previsto. “Entre as causas pode estar um regresso ao país de origem, uma viagem a outro país ou uma permanência na ilegalidade”, disse o responsável, citado pela AFP.

Uma das principais preocupações das autoridades é que alguns desses refugiados possam ser jiadistas ou membros de grupos de crime organizado. O governo germânico garante, contudo, que serão tomadas medidas para minimizar essa situação.

A oposição, nomeadamente o partido de esquerda Die Linke, teceu duras críticas ao Executivo, levando o próprio Governo a desvalorizar a situação.

“Esta informação não é nada nova. O ministério reparou há muito um significante número de casos de refugiados que pediram asilo e que estavam registados no sistema, mas que acabaram por não chegar ao centros onde estavam destinados”, referiu o porta-voz do ministério alemão do Interior, Tobias Plate.

Esta semana, o presidente do Gabinete Federal Alemão para a Migração, Frank-Juergen Weise, anunciou que existem 400 mil pessoas no país com identidades desconhecidas pelas autoridades.

A chanceler alemã tem defendido sempre que é vital assegurar um maior controlo das fronteiras externas, assim como melhorar as condições nos países de origem dos refugiados.