Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

PP e Podemos unidos contra pacto de Sánchez com Albert Rivera

  • 333

TODOS JUNTOS OU NEM POR ISSO. Albert Rivera (Cidadãos), Pedro Sanchez (PSOE) e Pablo Iglesias (Podemos) antes do debate nas instalações do “El País”

JUANJO MARTIN/EPA

Partido conservador de Mariano Rajoy qualifica de “fantochada” o acordo alcançado pelos líderes socialista e do Cidadãos. O “El País” noticia que o movimento liderado por Pablo Iglesias já suspendeu as negociações com o PSOE por “incompatibilidade” desse pacto com o seu programa político

A notícia de que o PSOE de Pedro Sánchez e o Cidadãos de Albert Rivera estão perto de alcançar um acordo, que desbloqueie a crise política instalada em Espanha desde as eleições gerais de 20 de dezembro, não deixou satisfeitos os líderes dos outros dois grandes partidos envolvidos nas negociações.

Diz o "El País" esta quinta-feira que é por isso que esse pacto "minucioso" de investidura, que inclui 200 propostas e sob o qual os 40 deputados eleitos do partido centrista Cidadãos aprovariam a investidura de um governo socialista, não vai entrar em vigor.

De acordo com o jornal, neste momento tanto o PP do ainda primeiro-ministro Mariano Rajoy como o Podemos de Pablo Iglesias estão a prometer boicotar o pacto em questão, impedindo a tomada de posse de Sánchez na semana que vem. O líder do PSOE foi convidado no início deste mês pelo rei Felipe VI de Espanha a tentar formar governo, perante o falhanço do PP em garantir uma maoiria qualificada dos votos nas eleições do final do ano passado.

O PP diz que o pacto de investidura que Pedro Sánchez firmou esta quarta-feira com Rivera é uma "fantochada". No mesmo dia, o Podemos, mais à esquerda que o PSOE, interrompeu as negociações com o líder socialista por considerar que o acordo em questão é "incompatível" com o seu programa político. "O Podemos mente e sabe-o", respondeu Antonio Hernando, porta-voz do PSOE. Tanto esse partido como os conservadores do PP já recusaram os pedidos de Sánchez e de Rivera para participarem "numa segunda transição".

Reagindo à tomada de posição do Podemos, o chefe dos socialistas espera estender a outras forças políticas o pacto alcançado com o Cidadãos. "Para mim, é uma honra partilhar um acordo com Albert Rivera e com o Cidadãos, espero poder fazê-lo também com outras forças políticas", declarou Sánchez. Para já, parece impossível que PP e o Podemos deem ouvidos a este pedido. Esta improvável união entre os conservadores e os esquerdistas torna impossível que o líder do PSOE seja confirmado pelo Congresso espanhol como líder do próximo executivo do país, fazendo arrastar a crise política no país vizinho por tempo indefinido.