Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Patrões avisam que saída do Reino Unido da UE “põe empregos em risco”

  • 333

LAURENT DUBRULE | EPA

Diretores de grandes empresas britânicas como a Vodafone, a Marks&Spencer e a BT assinam carta conjunta na edição desta terça-feira do jornal “The Times”, pondo-se ao lado do primeiro-ministro David Cameron e defendendo a permanência no bloco europeu

Deixar a União Europeia, como o autarca de Londres Boris Johnson e seis ministros do governo conservador de David Cameron pretendem, "ameaçaria postos de trabalho" e "poria a economia britânica em risco". O aviso é feito na edição desta terça-feira do jornal "The Times", onde os chefes de grandes empresas do Reino Unido, como a Vodafone ou a Marks&Spencer, assinam uma carta conjunta a defender a permanência na UE para "evitar a saída de grandes investimentos do Reino Unido".

Os argumentos dos CEO contra a saída, que será levada a referendo a 23 de junho, estão alinhados com os de Cameron e outros que já estão a fazer campanha pela manutenção do casamento com a UE, agora que o primeiro-ministro conseguiu negociar um "estatuto especial" para o Reino Unido dentro do bloco dos 28.

Esta segunda-feira, apresentando o seu caso aos deputados em Wesminster, Cameron disse que deixar a União iria causar graves efeitos na população do Reino Unido "em anos vindouros".

Membros da campanha EU.Leave já responderam à carta dos empresários, defendendo que a saída da UE, batizada Brexti, equivaleria a acabar com "gastos e regulações desnecessários".