Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA “aceitaram manter conversações de paz” com Coreia do Norte antes de último teste nuclear

  • 333

GETTY

“The Wall Street Journal” avança esta segunda-feira que, dias antes de Pyongyang fazer primeiro teste com bomba de hidrogénio, a administração Obama esteve prestes a chegar a um acordo com o regime, em negociações secretas, para evitar nova guerra da Coreia

Dias antes de a Coreia do Norte testar, pela primeira vez, uma bomba de hidrogénio, a administração de Barack Obama estava a manter negociações secretas com o regime de Pyongyang para acabar com as tensões na península e evitar uma nova guerra da Coreia. A informação foi avançada pelo "The Wall Sreet Journal", que cita fontes do Departamento de Estado, na madrugada desta segunda-feira (hora portuguesa).

"Para que fique claro, foram os norte-coreanos que propuseram a discussão de um tratado de paz", sublinhou o porta-voz do Departamento, John Kirby. Perante isso, os EUA "consideraram seriamente essa proposta e deixaram claro que a desnuclearização tinha de integrar qualquer discussão", uma exigência que o governo de Kim Jong-un recusou — pondo fim a estas negociações a 6 de janeiro, quando anunciou o primeiro teste à bomba H. "A nossa resposta à proposta da Coreia do Norte foi consistente com o nosso objetivo de longa data de desnuclearização", defendeu ainda o oficial.

As conversações secretas foram uma de uma série de tentativas falhadas desta administração norte-americana para garantir o fim de uma Coreia do Norte nuclear a par das negociações diplomáticas com o Irão, que deram outros frutos.

Desde esse teste nuclar em janeiro que as tensões na península coreana estão em crescendo. Neste momento, Seul proíbe qualquer intercâmbio civil com o Norte, que foi novamente alvo de sanções norte-americanas. Dentro da China, as autoridades já se preparam para a eventualidade de uma nova guerra.