Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Japão aposta em força na produção de “energia limpa”

  • 333

José Carlos Carvalho

Sector energético nipónico prevê triplicar produção de energia eólica até 2020, avança esta sexta-feira o diário económico do país. Desde o desastre na central nuclear de Fukushima que o país procura alternativas energéticas “limpas”

O Japão vai triplicar a sua capacidade de produção de energia eólica até 2020, segundo uma estimativa divulgada esta sexta-feira pelo diário económico Nikkei”, com base em planos renovados de investimentos do sector energético nipónico. Segundo o mesmo jornal, o total de energia produzida a partir do vento corresponde à eletricidade produzida por dez reatores nucleares.

O jornal adianta que a Eurus Energy Holdings e a J-Power preveem investir 60 mil milhões de ienes (478 milhões de euros) em novas instalações durante os próximos cinco anos. A Eurus, uma ‘joint-venture’ entre a corretora Toyota Tsusho e a operadora da central nuclear de Fukushima, a Tokyo Electric Power (TEPCO), planeia instalar meios de produção de 200 mil quilowatts durante esse período, plano que, a concretizar-se, elevaria a sua capacidade até aos 850 mil quilowatts.

Desde o sismo de 2011 que provocou um grave desastre na central nuclear de Fukushima que as autoridades japonesas buscam alternativas “limpas” de energia renovável à produção de eletricidade com recurso ao enriquecimento de urânio e outros materiais radioativos. Apesar disto, a Electric Power continua a investir no sector de energia nuclear.

No final do ano passado, a Cimeira do Clima de Paris terminou sem o acordo esperado para combater as alterações climáticas e o aquecimento global. Entretanto, já este mês, o Supremo Tribunal norte-americano deferiu um duro golpe nas ambições do governo de liderar esse combate, suspendendo o Plano de Energia Limpa que Barack Obama tem tentado implementar nos EUA nos últimos meses.