Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA: Candidato presidencial quer ajudar o FBI... de graça

  • 333

Joe Raedle

John Mcafee, fundador da empresa de antivírus McAfee, oferece-se para desencriptar iPhone do atirador de San Bernardino

John Mcafee, que dá nome a um dos mais famosos antivírus do mundo, diz que tem a solução perfeita para o caso Apple vs. governo norte-americano. Depois de Tim Cook ter garantido esta semana que vai lutar em tribunal contra a ordem do FBI para criar um mecanismo de acesso a dados encriptados nos aparelhos Apple, no âmbito da investigação ao atentado de San Bernardino em dezembro passado, o também candidato às presidenciais norte-americanas pelo movimento libertário garante que pode ajudar a agência norte-americana a aceder aos conteúdos encriptados do iPhone de Syed Rizwan Farook, o americano de ascendência paquistanesa que com a mulher, Tashfeen Malik, levou a cabo um ataque a tiro na Califórnia que provocou 14 mortos.

"Com todo o respeito a Tim Cook e à Apple, eu trabalho com uma equipa que reúne os melhores hackers do planeta", declarou na quinta-feira. "Eles são todos prodígios, com talentos que desafiam a compreensão humana normal. Aposto que podemos quebrar a criptografia do telefone [do atirador de] San Bernardino. É um facto puro e simples", garante o magnata de software.

A oferta que faz ao FBI é "simples" e vai agradar a todas as partes envolvidas, garantiu. "Vou, de forma gratuita, desencriptar as informações no telefone com a minha equipa. Usaremos principalmente a engenharia social, o que deverá levar três semanas. Se vocês aceitarem a minha oferta, então não vão precisar de pedir à Apple para criar uma porta dos fundos nos seus produtos, o que seria o início do fim da América."

Na quarta-feira, depois de vários meses de negociações de bastidores entre a Apple e as autoridades norte-americanas, o CEO da Apple emitiu um comunicado a explicar por que razão se recusa a criar um mecanismo que contorne as medidas de segurança implementadas nos produtos Apple para proteger a privacidade dos seus utilizadores. Para Cook, permitir que o FBI aceda aos conteúdos do iPhone de Farook (que foi abatido a tiro pela polícia da Califórnia juntamente com a sua mulher no rescaldo do ataque) abre um precedente perigoso que põe em causa a segurança de todos os cidadãos que utilizam produtos da Apple.

Edward Snowden, o ex-analista de sistemas da Agência de Segurança Nacional (NSA) norte-americana que está exilado na Rússia desde que denunciou a existência de programas de vigilância massiva e ilegal dos EUA, já disse apoiar a decisão de Cook. A Google também considera que a Apple tomou a decisão certa neste caso.