Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Seul proíbe intercâmbios com a Coreia do Norte, incluindo envio de ajuda humanitária

  • 333

Os caças do Reino Unido (na imagem) e da França ficam de fora do acordo de utilização das bases turcas pela aviação militar norte-americana

AFP/Getty Images

Notícia surgiu a par de uma outra, dando conta do envio pelos Estados Unidos de quatro caças para a Coreia do Sul, em resposta ao lançamento de um satélite norte-coreano há uma semana que os aliados dizem ter sido um teste de mísseis

A Coreia do Sul impôs na madrugada desta-quarta proibições a todo o tipo de intercâmbio civil com a Coreia do Norte, incluindo ajuda humanitária, numa nova medida de pressão após o lançamento de um satélite pelo regime de Kim Jong-un, que Seul e os Estados Unidos suspeitam ter-se tratado de um teste nuclear e de mísseis.

“A partir de agora, o Governo não autorizará os intercâmbios com a Coreia do Norte devido ao ensaio nuclear e de mísseis”, disse à agência Efe um representante do Ministério da Unificação, que confirmou que a restrição aplicar-se-á também às organizações não-governamentais que fornecem ajuda humanitária ao país vizinho.

Seul recusou 17 requerimentos pendentes de organizações e particulares para estabelecer contacto com a Coreia do Norte, que incluem pedidos de autorização para a realização de viagens transfronteiriças e o envio de materiais a partir da Coreia do Sul.

A notícia surgiu a par de uma outra, dando conta do envio pelos Estados Unidos de quatro caças F-22 Raptor para a Coreia do Sul, numa nova demonstração de força ao Norte dois dias depois de os aliados terem levado a cabo um exercício militar conjunto na região em resposta ao lançamento do satélite.

Os caças de quinta geração, com tecnologia furtiva, voaram a baixa altitude sobre a base aérea de Osan, a aproximadamente 55 quilómetros a sul da capital sul-coreana, pouco depois de terem sido enviados para o país asiático, informou a agência noticiosa sul-coreana Yonhap.