Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama: “Trump não será presidente porque ser presidente é um trabalho a sério”

  • 333

Matthew Cavanaugh

Barack Obama diz ter “muita fé” de que o povo americano não irá eleger o incendiário magnata de Nova Iorque para lhe suceder na Casa Branca

Donald Trump, o pré-candidato que (ainda) lidera a corrida à nomeação republicana para as eleições de novembro nos Estados Unidos, não será eleito presidente porque "se trata de um trabalho a sério", não de "apresentar um talk show ou um reality show".

A declaração é de Barack Obama, que esta terça-feira à noite (madrugada de quarta em Portugal) foi questionado por um jornalista durante a cimeira da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) sobre a candidatura do magnata de Nova Iorque para lhe suceder, não se coibindo de deixar clara a sua opinião.

"Continuo a acreditar que o sr. Trump não será presidente, porque ser presidente é um trabalho a sério", disse o ainda presidente democrata, que não pode ser candidato à reeleição. "E a razão pela qual acredito é porque tenho muita fé no povo norte-americano", acrescentou Obama. O eleitorado não vai escolher Trump para o lugar que ainda ocupa porque, defende, "os eleitores reconhecem que ser presidente é um trabalho a sério, não é apresentar um talk show ou um reality show, não é autopromoção, não é marketing, é difíficl. Não é uma questão de ser alcoviteiro e de fazer o que te vai garantidamente pôr nas notícias num determinado dia."

Obama fez questão de dizer que não pensa isto apenas de Donald Trump. "Não existe um único candidato às primárias republicanas que pense que nós temos de fazer algo em relação às alterações climáticas... O resto do mundo olha para nós e pensa: como é possível?"

Ao falar da confiança que tem nos eleitores, é possível que Barack Obama se referisse acima de tudo aos eleitores democratas, que têm pela frente uma escolha entre a ex-secretária de Estado Hillary Clinton e o senador pelo Vermont Bernie Sanders. Isto porque, do lado republicano, e apesar de contestado e criticado dentro do partido, o multimilionário Trump continua a a ser o favorito dos eleitores. Neste momento lidera a corrida para as primárias que se disputam já este sábado na Carolina do Sul — depois de ter destronado Ted Cruz no New Hampshire, ficando em primeiro lugar após ter alcançado o segundo do pódio, atrás do senador, na primeira etapa do processo de nomeação do candidato republicano, disputada no Iowa a 1 de fevereiro.

Questionado por um jornalista durante um evento de campanha na Carolina do Sul sobre as declarações de Obama, Trump disse considerar "um elogio ser criticado por um presidente que causou tantos estragos ao país".