Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vítimas de pedofilia na Igreja pedem dinheiro para assistir à revelação das provas em Roma

  • 333

ANDREAS SOLARO / Getty

Em Ballarat, na Austrália, aconteceu um dos maiores escândalos de pedofilia na Igreja. Este mês, as provas de abuso vão ser reveladas em Roma - e as vítimas querem marcar presença

Há novos desenvolvimentos na série de casos de pedofilia nas paróquias de Ballarat, na Austrália. Os casos vão ser investigados em Roma numa comissão real de abuso sexual de crianças - uma espécie de tribunal da Igreja Católica - e as vítimas australianas estão a reunir dinheiro para viajar até ao local onde a sessão vai decorrer através de uma campanha de crowdfunding.

Na audiência em questão, que vai decorrer no dia 29 de fevereiro, o membro da Igreja Católica mais antigo da Austrália, o cardeal George Pell, vai revelar provas dos abusos sexuais ocorridos em Ballarat. Na altura em que os alegados crimes ocorreram, Pell era um sacerdote assistente naquela localidade.

A sessão foi inicialmente planeada para decorrer na Austrália. No entanto, as complicações de saúde do cardeal impedem-no de fazer esforços e viagens longas, motivo pelo qual a audiência foi remarcada para Roma, tendo a comissão decidido que quem quisesse poderia assistir através de um vídeo em direto. Agora, as vítimas de abuso sexual de Ballarat estão a pedir ajuda para reunir dinheiro e voar até à capital italiana para assistir à sessão, embora ainda não esteja garantido que as portas estejam abertas ao público.

O padre que abusou de crianças 130 vezes

David Risdale, vítima dos abusos e sobrinho de um dos padres acusados, Gerald Risdale, está a organizar o grupo de sobreviventes de pedofilia de Ballarat que querem viajar até Roma. Risdale mostra-se otimista quanto à decisão da comissão: "Estou bastante confiante que a comissão vai requerer um espaço público para que Pell mostre as provas", garante, citado pelo "Guardian". Numa audiência anterior, Risdale acusou Pell de o ter subornado para o dissuadir de contar a história dos seus abusos.

Gerald Risdale é uma das figuras mais importantes para compreender o que se passou em Ballarat. O antigo padre está preso por ter cometido mais de 130 crimes sexuais com crianças a partir dos quatro anos, entre as décadas de 1960 e 1980. O seu sobrinho David foi uma dessas crianças.

Doações já ultrapassaram objetivo inicial

A campanha foi iniciada pela comediante Meshel Laurie, que tem vindo a público defender as vítimas de abusos sexuais em diversas ocasiões, incluindo o grupo de sobreviventes Loud Fence. "Há 15 pessoas que gostariam de ir a Roma, e não podemos esperar que viajem sem apoio de psicólogos ou conselheiros, por isso queremos mandar algum apoio também", esclarece Laurie, citada pelo "The Guardian".

Esta terça-feira, o valor pedido (55 mil dólares) já tinha sido largamente ultrapassado, estando reunido um total de 73 mil dólares (65 mil euros). Segundo as informações disponibilizadas pela plataforma de crowdfunding, o objetivo foi atingido em apenas um dia, com um total de mais de 1300 doações.

A organizadora da campanha acrescenta um pedido: se a comissão não autorizar que a sessão decorra de forma pública, Laurie pede a quem já doou o dinheiro que o entregue a um Centro de Recuperação para Sobreviventes em Ballarat.