Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Luke, que é o Skywalker do anti-ciberbullying (#CreateNoHate)

  • 333

Luke Culhane tem 13 anos e é alvo de insultos e humilhações nas redes sociais. Com a ajuda do pai, criou o vídeo do momento e pede a quem se esconde atrás de um teclado para parar de criar ódio. O outro Luke, o Skywalker, ficaria orgulhoso de uma força assim

O rapaz está sentado junto ao rio, a escrever no computador. Recebe uma mensagem no Facebook: "És gay", dizem-lhe em letras maiúsculas. Quando caminha na rua, uma nova notificação no Whatsapp: "És feio". As palavras magoam, diz o cliché, muito mais do que um murro ou um pontapé.

Foi com esta premissa em mente e com a ajuda do seu pai que Luke Culhane, um adolescente irlandês de apenas 13 anos, decidiu gravar o vídeo #CreateNoHate (Não cries ódio), que está a tornar-se viral nas redes sociais. Durante pouco mais de um minuto, o rapaz mostra as feridas causadas pelos ataques de violência verbal de que tem sido alvo e pede o fim do ciberbullying.

Depois, explica a receita para que se pare de criar ódio: "Parem para pensar se o que vão publicar pode magoar alguém. Pensem em como se sentiriam se estivessem na sua pele. Se sofrerem ciberbullying, bloqueiem a pessoa e façam queixa dela a um pai, professor ou encarregado de educação. Ninguém merece isto".

O pai do rapaz diz à BBC que embora tenha havido reações "positivas e fantásticas", incluindo de outros pais, Luke continua a ser insultado e gozado nas redes sociais. "Não há forma de fugir", diz, confirmando que desde que este vídeo foi publicado, Luke está a receber cada vez mais mensagens de ódio.