Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hackers atacam hospital americano e exigem €3 milhões para desbloquear sistemas

  • 333

Lucy Nicholson / Reuters

Centro Médico Presbiteriano de Hollywood está há mais de uma semana sem acesso aos seus dados. Já reconheceu ter sido alvo de um ciberataque mas ainda não comentou alegada exigência de “resgate”

Os sistemas computorizados do Centro Médio Presbiteriano de Hollywood, na Califórnia, estão em baixo há mais de uma semana após um ciberataque que já foi reconhecido pela administração daquele hospital. De acordo com os media locais, os hackers responsáveis pela invasão dos sistemas exigem o pagamento de 3,4 milhões de dólares (cerca de 3 milhões de euros para desbloquear os sistemas e dar os códigos de desbloqueio dos dados roubados aos funcionários do hospital.

A administração do Centro Médico, que já reconheceu ter sido alvo de um ciberataque mas que não confirma nem desmente a exigência de “resgate” pelos hackers, garante que as operações do dia-a-dia não foram afetadas, ainda que o facto de não terem acesso aos sistemas informáticos esteja a gerar atrasos e a alimentar a frustração de quem trabalha no hospital. Numa mensagem de voicemail, o hospital tenta há uma semana reassegurar os doentes que os hackers não acederam ao conteúdo dos dados roubados, tendo apenas bloqueado o acesso do hospital aos mesmos.

O FBI, a polícia de Los Angeles e especialistas de computação forense contratados pela administração do hospital estão a trabalhar em conjunto para apurarem a fonte do ciberataque, que as autoridades dizem ter sido “aleatório”. Este tipo de ataques envolve software conhecido como “ransomware”, criado para bloquear o acesso aos sistemas informáticos onde o malware é implantado até que seja pago um “resgate” pelos dados roubados.