Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Austrália quer capitalizar lixo nuclear do mundo inteiro

  • 333

TORU HANAI

Inquérito de Comissão Real do Sul da Austrália apoia plano para tornar o país no depósito de combustível nuclear usado por outros países mas recusa a criação de uma indústria de energia nuclear no território

O Estado australiano deve apostar nos planos de criar dentro do país um depósito de combustível nuclear usado em todo o mundo, beneficiando economicamente dessa estratégia sem recorrer à criação de uma indústria de energia nuclear. A conclusão foi avançada esta segunda-feira pelo "The Guardian", citando um inquérito da Comissão Real do Sul da Austrália que foi chamada a pronunciar-se sobre os planos do governo para começar a acolher e a armazenar, numa zona deserta daquela região, o lixo nuclear produzido pelos países que, ao contrário da Austrália, produzem energia em centrais nucleares.

No relatório de aconselhamento ao governo australiano, a comissão diz que o país deve apostar na capitalização de lixo nuclear do resto do mundo e na expansão da atividade mineira de urânio, recusando contudo a possibilidade de a Austrália se juntar à lista de países que produzem energia nuclear para consumo doméstico e exportação.

No documento é referido que o país tem inúmeros benefícios económicos a colher destas decisões e que esse plano pode entrar em vigor já a partir de 2020. O mesmo relatório cita como "principal risco" do armazenamento de combustível usado as "emissões de radiações no ambiente natural", dizendo que existe a possibilidade de partículas emissoras de radiação serem inaladas ou ingeridas por seres humanos e outras espécies e organismos.

Os especialistas dizem que a Austrália está melhor preparada para armazenar o lixo nuclear do mundo pela baixa atividade sísmica registada no país, sobretudo nas regiões do sul —explicando que os recentes exemplos da Finlândia e da Suécia, que já criaram instalações de armazenamento de combustível nuclear usado, mostram que os riscos podem ser mitigados ao guardar esse lixo em forma sólida em áreas geologicamente estáveis, com várias camadas de proteção e conteção que impeçam a contaminação do subsolo.