Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

George Soros diz que Putin é maior ameaça para a Europa do que o Daesh

  • 333

GETTY

O magnata húngaro defende que o Presidente russo pretende levar à desintegração da Europa, contribuindo para a crise dos refugiados vindos da Síria, para evitar o colapso da própria Rússia

“A melhor forma da Rússia evitar o seu colapso é fazer a União Europeia implodir primeiro – através da exacerbação da crise migratória e incentivando a islamofobia”, defende o magnata húngaro George Soros, num artigo de opinião publicado esta quinta-feira no jornal britânico “The Guardian”.

Soros começa por alertar que “os líderes dos Estados Unidos e da União Europeia estão a cometer um grave erro ao pensarem que o Presidente da Rússia Vladimir Putin é um potencial aliado na luta contra o autodenominado Estado Islâmico (Daesh)”.

“Os dados contradizem-nos. Putin tenciona contribuir para a desintegração da União Europeia, e a melhor forma de o fazer é inundando a Europa com refugiados sírios”, acrescenta, para depois referir que os aviões russos têm estado a bombardear a população cívil no norte e sul da Síria, obrigando-a a fugir.

O magnata considera que apesar de Putin ser dotado em termos de tática “não é um pensador estratega”, e que, ao que tudo indica, quando começou por intervir na Síria não tinha, à priori, a intenção de provocar essa crise de refugiados, mas entretanto ter-se-á apercebido da oportunidade que tal representaria.

O regime russo irá entrar em falência em 2017, quando tiver de pagar grande parte das suas dívidas externas, e está numa autêntica “corrida contra o tempo” procurando que a desintegração europeia ocorra antes disso, refere Soros.