Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primárias dos EUA. New Hampshire faz duas novas vítimas na corrida à nomeação republicana

  • 333

Candidatos Republicanos às primárias das presidenciais americanas (da esquerda para a direita: Rand Paul, Chris Christie, Ben Carson, Ted Cruz, Marco Rubio, Jeb Bush e John Kasich) no debate promovido pela Fox News na noite desta quinta para sexta, no Iowa, e ao qual Trump faltou

JIM YOUNG /REUTERS

Carly Fiorina confirma fim da candidatura após a segunda etapa das primárias para as presidenciais de novembro. Perante a vitória esmagadora de Donald Trump no New Hampshire, governador de New Jersey Chris Christie também oficializou saída da corrida republicana

Carly Fiorina foi a primeira a assumir a enorme derrota nas primárias do New Hampshire, disputadas esta terça-feira naquela que foi a segunda etapa do longo processo de nomeação de um candidato por cada partido às presidenciais norte-americanas de novembro. Poucas horas depois de a contagem de votos ter sido finalizada, a ex-diretora executiva da Hewlett-Packard, que ficou em sétimo lugar na votação, encurtou a lista de candidatos à nomeação republicana.

E logo a seguir foi a vez de Chris Christie, governador de New Jersey, anunciar o regresso a casa, após ficar em sexto lugar nas primárias do pequeno estado norte-americano do leste. Fiorina e Christie juntam-se assim aos três pré-candidatos republicanos que, após o caucus do Iowa a 1 de fevereiro, abandonaram a corrida à nomeação.

Na terça-feira, uma maioria dos eleitores do New Hampshire registados como republicanos deram a vitória ao magnata Donald Trump, valendo-lhes manchetes com acusações de "morte cerebral" e alimentando a fúria dos media norte-americanos, que criticaram duramente a vitória do candidato populista, sexista e racista. A vitória de Trump não foi uma surpresa, considerando a consistência das sondagens às intenções de voto no New Hampshire e apesar de outros inquéritos terem previsto, erradamente, que o multimilionário iria vencer no Iowa, onde foi destronado pelo senador Ted Cruz.

Do outro lado da barricada, entre os democratas a vitória do candidato antissistema Bernie Sanders também não surpreendeu ninguém. O que poucos acreditavam que se concretizaria era a vantagem prevista — e entretanto concretizada — por Sanders sobre Hillary Clinton: na disputa pela nomeação no New Hampshire, Sanders conseguiu mais 22% dos votos do que a rival, que enfrenta agora duras semanas de campanha para chamar a si o eleitorado que lhe escorre por entre os dedos. Apesar disto, membros da campanha da ex-secretária de Estado norte-americana recusam assumir um cenário de crise.

Os candidatos ainda na corrida concentram-se agora nos próximos estados a ir a votos. Já a 20 de fevereiro, os eleitores republicanos escolhem o seu candidato nas primárias da Carolina do Sul e os democratas no caucus do Nevada. Três dias depois, é dia de caucus republicano neste último estado, com os democratas a irem a votos na Carolina do Sul a 27 de fevereiro.

A próxima grande etapa, que concentra muitas das atenções em anos de presidenciais nos Estados Unidos, é a Super Tuesday, que este ano está marcada para 1 de março, o dia em que 14 estados votam simultaneamente nos pré-candidatos de ambos os partidos.