Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Membros da milícia armada do Oregon rendem-se

  • 333

JIM URQUHART/REUTERS

Os últimos membros da milícia armada que ocupava desde 2 de janeiro a Reserva Natural de Malheur prometeram render-se. FBI apertou o cerco aos manifestantes e disse que "a paciência tem limites"

Depois de várias horas de negociações tensas entre o FBI e os manifestantes da milícia armada que há quarenta dias ocupa a Reserva Natural de Malheur, no estado norte-americano de Oregon, o grupo prometeu regressar a casa.

A rendição acontece quinze dias depois de Ammon Bundy, o líder da milícia ter apelado aos últimos manifestantes para deixarem o local, na sequência da sua detenção e de outras manifestantes, além da morte do porta-voz do grupo, Robert LaVoy Finicum durante uma troca de tiros com a polícia.

“Nós não estamos a render-nos. Isto vai contra tudo o que acreditamos, mas vamos sair daqui”, declarou Sean Anderson, um dos últimos manifestantes no local, citado pelo diário britânico “Guardian”.

FBI fez ultimato

A maratona negocial entre o FBI e os manifestantes foi transmitida em direto no YouTube, revelando vários momentos de tensão. Inicialmente, os quatro membros da milícia armada que permaneciam na Reserva Natural de Malheur não pareciam querer ceder. No entanto, o FBI alertou que a paciência das autoridades estava a acabar.

“Nunca tem sido o desejo do FBI levar estes ocupantes armados sem ser pela via do diálogo, e tendo em conta esse objetivo, o FBI negociou com paciência e restringiu o seu esforço com vista a resolver a situação de uma forma pacífica. Contudo, chegamos a um ponto em que se tornou necessário tomar ações da melhor forma para garantir a segurança das pessoas que vivem e que trabalham aqui”, afirmou Greg Bretzing, agente especial do FBI, envolvido na operação especial no Oregon.

Uma das pessoas que foi mais importante a mediar o diálogo foi Michele Fiore, uma senadora republicana do estado do Nevada, que apelou à calma entre os manifestantes. “Nós não podemos permitir mais sangue derramado. Quero negociar com o FBI uma solução pacífica. Presos ou não presos, eu preciso de vocês vivos”, disse Michele Fiore aos manifestantes.

Detidos acusados de conspiração

Os líderes da milícia que foram detidos são acusados de “conspiração para impedir o desempenho dos deveres de funcionários dos Estados Unidos através do uso da força, intimidação e ameaças”.

Nesta quarta-feira, o pai do líder do grupo, Cliven Bundy - que em 2014 também esteve envolvido em protestos com as autoridades do estado de Nevada - foi detido pelas autoridades no aeroporto de Portland, quando se preparava para deslocar ao local do protesto.

Os membros deste grupo armado estão dispostos a matar e a serem mortos, protestando contra Washington e a gestão dos terrenos públicos. Segundo a BBC, um dos manifestantes compara-se a William Wallace, o guerreiro escocês que preferia morrer a abrir mão da sua liberdade - personagem histórica interpretada por Mel Gibson e imortalizada no filme "Braveheart".

Desde o início do ano que o grupo de manifestantes armados ocupava a Reserva Natural de Malheur, em protesto contra a detenção de Dwight Hammond e Steven Hammond. Os dois agricultores foram detidos após incendiarem terrenos públicos, entre 2001 e 2006.