Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O país onde 102 advogados foram executados desde 2010

  • 333

Rigoberto Paredes, ao centro na imagem, foi um dos poucos alegados homicidas de advogados a ter sido capturado pela polícia

Getty

Comissão de Direitos Humanos das Honduras denuncia vaga de atentados contra advogados. É o quarto país mais violento da América Central

Os advogados estão entre os profissionais mais atingidos pela violência que assola as Honduras e que coloca este país entre os mais violentos da América Central. Nos últimos cinco anos, 102 profissionais do Direito foram assassinados e em 94% dos casos ninguém teve de responder perante a Justiça. Os números foram avançados esta segunda-feira pela Comissão de Direitos Humanos das Honduras.

Um dos casos reportados é o de Ahmed Zelaya, de 38 anos, morto a tiro com uma metralhadora kalashnikov (AK-47) há mais de três anos num campo de futebol da comunidade de Los Castanõs, na cidade de San Pedro de Sula, a segunda maior das Honduras. Estava na festa de aniversário de um cliente quando seis homens fardados como polícias, mas de rostos cobertos com gorros passa-montanhas, disseram a este advogado que estavam ali numa “operação de rotina” antes de baleá-lo mortalmente.

Segundo o relatório da Comissão de Direitos Humanos das Honduras, 90 dos 102 advogados mortos desde 2010 foram assassinados com armas de fogo, cinco foram esfaqueados e quatro asfixiados. A maior parte das vítimas terá sido executada no interior das suas viaturas, em casa, na via pública ou mesmo nos seus escritórios, em alguns casos na presença de familiares, amigos e até de clientes.

José Luis Valladares, bastonário da Ordem dos Advogados hondurenhos, garante que há muito tempo que esta organização profissional está preocupada com a segurança dos seus associados, alvos de ameaças de morte frequentes. Apesar de reconhecer que alguns assassinatos possam ser vistos como vingança de clientes irados depois de terem sido condenados, Valladares não crê, no entanto, que a classe seja mais atingida pela violência que assola as Honduras do que qualquer outra.

De acordo com a edição de 2015 do “Global Peace Index”, as Honduras são o quarto país mais violento da América Central, surgindo atrás do México, El Salvador e Guatemala.