Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Procuradoria do México procura atriz musa de “El Chapo”

  • 333

GETTY

Kate del Castillo, que em outubro organizou o encontro entre o líder do cartel Sinaloa e o ator norte-americano Sean Penn, já pediu em tribunal que ordem de detenção seja embargada

Procuradores mexicanos emitiram uma ordem de detenção contra a atriz Kate del Castillo, por suspeitas de que tenha recebido dinheiro de Joaquín "El Chapo" Guzmán, o líder do cartel Sinaloa que, há sete meses, escapou de uma prisão de alta segurança no México — e que, em outubro, muito por causa de um encontro organizado por del Castillo entre o traficante e o ator norte-americano Sean Penn, foi recapturado pelas autoridades.

Kate — que vive em Los Angeles e tem dupla nacionalidade — já tinha sido convocada a comparecer no consulado mexicano naquela cidade para ser questionada assim que !El Chapo! foi encontrado e detido numa megaoperação da polícia mexicana, mas falhou a data da convocatória. Agora, assim que aterrar no seu país-natal, será detida para interrogatório, para já como testemunha.

Del Castillo já interpôs uma ação em tribunal para embargar essa ordem e para poder visitar a família sem ser detida. Falando à BBC, o seu advogado nos Estados Unidos Harland Braun deixou claro que a atriz está disponível para falar com as autoridades mexicanas "se recebermos credenciais e informação apropriadas", deixando nas entrelinhas o receio de que os homens de "El Chapo" já tenham arranjado forma de comprar autoridades para se vingarem de Castillo.

"Ela não tem nada a esconder", garante o advogado de defesa. "Não há qualquer problema em localizá-la. Toda a gente sabe que ela tem advogados, representantes, agentes."

O procurador-geral mexicano Arely Gomez já garantiu que respeita a vontade de Kate e o "princípio da inocência presumível". De acordo com as autoridades, a atriz poderá ter participado num esquema de lavagem de dinheiro, um dos vários geridos por "El Chapo" no México, ao aceitar dinheiro do homem forte do narcrotráfico. As datas e sequência de eventos aumentam as suspeitas: depois de ter escapado da prisão mais segura do México, "El Chapo" entrou em contacto com Kate para a conhecer pessoalmente. Em outubro, ela organizou o encontro com Penn e em dezembro lançou a sua marca própria de tequilla, Honor del Castillo.

A polícia suspeita que a marca possa ter sido financiada com dinheiro oferecido por Guzmán, o que tornaria Kate cúmplice num esquema de lavagem de dinheiro.