Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama foi a mesquita de Baltimore condenar islamofobia

  • 333

Presidente norte-americano, Barack Obama, durante a visita a uma mesquita em Baltimore, EUA

JONATHAN ERNST/REUTERS

O Presidente norte-americano criticou o discurso “indesculpável” de políticos republicanos contra a comunidade muçulmana no país

A primeira visita de Barack Obama, esta quarta-feira, a uma mesquita nos Estados Unidos ficou marcada por palavras de apelo à união. “Somos uma família americana, vamos levantar-nos e cairemos juntos”, afirmou dirigindo-se à comunidade muçulmana residente naquele país.

O Presidente norte-americano rejeita o que considera ser uma “indesculpável retórica política contra os americanos-muçulmanos” manifestada por candidatos presidenciais republicanos. Em plenas eleições primárias, crescem os ataques aos muçulmanos vindos de políticos republicanos, como Donald Trump, que tentam impedir a sua entrada no país.

No fim da visita à mesquita de Baltimore, Obama reiterou, enquanto Presidente dos Estados Unidos, que os muçulmanos têm lugar no país. “Vocês estão exatamente no lugar onde pertencem. Também fazem parte da América. Não são muçulmanos ou americanos. São muçulmanos e americanos”, garantiu perante a audiência que o escutava no interior de uma mesquita que existe há 47 anos.

Esta não foi a primeira vez que Obama visitou uma mesquita, mas foi uma estreia em solo americano, onde vivem 2,75 milhões de muçulmanos, segundo dados do Pew Research Center.

No passado, muitos grupos muçulmanos tinham pedido ao Presidente norte-americano que visitasse uma mesquita nos EUA como um ato público de rejeição da islamofobia. Os receios dos norte-americanos face ao terrorismo islâmico regressaram aos Estados Unidos e situam-se em níveis semelhantes aos que se fizeram sentir nos anos seguintes aos ataques de 11 de setembro de 2001.