Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Milhares de agentes destacados para o Carnaval de Colónia

  • 333

OLIVER BERG/ Getty Images

Depois dos acontecimentos na passagem de ano, a cidade alemã reforça a presença das autoridades para monitorizarem celebrações do entrudo

As centenas de acusações de violação e assédio sexual apresentadas por mulheres em esquadras da cidade de Colónia no primeiro dia deste ano — crimes esses atribuídos a migrantes e refugiados — espalharam o pânico entre os alemães e levaram as autoridades da cidade alemã a reforçar a segurança antes das celebrações do Carnaval.

A BBC avança que Colónia vai destacar 2500 agentes para as ruas da cidade durante os próximos grandes festejos populares, para evitar incidentes semelhantes. Os acontecimentos da passagem de ano foram achas para a fogueira do país europeu que, até então, tinha sido o grande defensor do acolhimento de dezenas de milhares de refugiados que fogem de sangrentos conflitos no Médio Oriente e em África.

Os incidentes da passagem de ano levaram a Alemanha a distribuir manuais e aplicações de telemóvel para ensinar os refugiados a respeitar as mulheres. O facto de os ataques sexuais terem sido atribuídos a “migrantes” veio reforçar a retórica de movimentos de extrema-direita na Alemanha. As falhas da polícia de Colónia, que tentou ocultar os acontecimentos da passagem de ano, e o facto de a xenofobia estar em crescendo na Alemanha contribuem ainda mais para o discurso anti-refugiados que continua a disseminar-se por toda a Europa. Menos visibilidade tiveram notícias como a de uma mulher americana que, nessa mesma noite de passagem de ano em Colónia, foi salva por refugiados.

Nos últimos meses têm sido denunciados vários casos de desinformação relacionados com alegados ataques levados a cabo por refugiados na Europa, que são também acusados de extremismo. Entre esses conta-se o caso de uma jovem alemã que fugiu de casa e que, por temer represálias dos pais, disse ter sido “violada por refugiados” e a utilização de imagens de violência falsamente atribuídas a estas pessoas em fuga.