Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ameaça terrorista na Europa é a mais alta de sempre

  • 333

REUTERS

Cerca de duas mil pessoas que saíram de países europeus e rumaram à Síria e ao Iraque, motivadas pela propaganda jihadista, estarão de volta ao velho continente. A ligação destas pessoas ao autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) faz soar os alarmes para o perigo de novos atentados

Alberto Conceição

A ameaça terrorista na Europa nunca foi tão elevada, garantiu um responsável americano à CNN, numa altura em que estão de regresso a casa as cerca de duas mil pessoas que saíram da Europa para o Iraque e para a Síria. As estimativas referem-se aos últimos anos, desde que os serviços secretos de todo o mundo começaram a seguir estas movimentações.

A maioria dos que estão de volta - mas não todos - juntaram-se às fileiras do Daesh e continuam ligados ao grupo. Torna-se, por isso, difícil prever quantos desses combatentes estão a planear novos ataques terroristas, avança o mesmo responsável. “A ameaça nunca foi tão elevada” na Europa e a possibilidade de novas ocorrências não diminuiu desde os ataques de Paris, em novembro do ano passado. Segundo a mesma fonte, existe ainda um risco acrescido de operacionais do Daesh se misturarem com refugiados que tentam chegar à Europa todos os dias.

Nos últimos meses tem havido várias detenções de elementos suspeitos de ligações ao grupo terrorista, quer pessoas inspiradas pelas suas ideias, quer combatentes a quem tinham sido encomendados ataques organizados.

Crescimento do Daesh na Líbia

A expansão do Daesh na Líbia é um motivo de preocupação, uma vez que este crescimento permite que a organização nesse país tenha independência e autoridade para desencadear ataques sem precisar da coordenação ou aprovação dos líderes na Síria e no Iraque. Estima-se que existam entre dois mil a três mil combatentes do Daesh na Líbia, uma situação alimentada pela falta de estabilidade política e governamental.

O Departamento dos EUA trabalha em conjunto com o Pentágono para encontrar soluções diplomáticas e militares quem travem o avanço do Daesh na Líbia.

Europol fala da ameaça mais grave da última década

O terrorismo na Europa contou, há pouco tempo, com a análise da Europol, agência policial que centraliza a coordenação das políticas europeias de combate ao terrorismo e crime organizado. O relatório refere que esta é a ameaça terrorista mais séria que a Europa enfrentou na última década, e alerta para a vontade e capacidade do Daesh de organizar novos ataques no velho continente.

A Europol refere que antes de se juntar ao Daesh, na Síria e no Iraque, “a maioria das foi diagnosticada com distúrbios mentais”, conclui o relatório.