Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Revista russa multada e pirateada depois de escrever sobre a filha de Putin

  • 333

Vladimir Putin de barço dado com a sua mulher Ludmila e a sua filha mais nova Maria, no dia das eleições em dezembro de 2007

ALEXANDER NEMENOV / AFP / Getty Images

Explicação oficial da entidade reguladora para a comunicação social russa fala de um artigo publicado em janeiro que mencionava um grupo ultranacionalista ucraniano, mas a multa foi anunciada no dia em que a “New Times” falou da filha do Presidente

Esta não é a primeira vez que surgem suspeitas de o regime russo utilizar ataques informáticos para sancionar inimigos políticos e órgãos de comunicação social, por publicarem informações que o Kremlin não quer ver divulgadas. Desta vez, o silenciamento da revista russa “New Times” pode estar relacionado com revelações sobre uma das filhas do Presidente Vladimir Putin.

A revista foi multada pela entidade reguladora para a comunicação social russa e a explicação oficial recai sobre um artigo publicado em janeiro, no qual a “New Times” mencionava um grupo ultranacionalista ucraniano sem explicar que o mesmo está banido em território russo. No entanto, a imprensa internacional alerta para o facto de a multa ter sido anunciada no mesmo dia em que o título publicou informações sobre a filha mais velha de Putin, Maria, revelando que esta tem 30 anos, que vive num apartamento perto da embaixada norte-americana em Moscovo e trabalha num centro de endocrinologia dirigido pelo Ministério da Saúde.

Esta não foi a única consequência que a revista sofreu. O website da “New Times” esteve inacessível durante a tarde desta segunda-feira e a editora Yevgeniya Albats já veio dizer, citada pelo “The Guardian”, que acredita tudo terá resultado de um ataque informático organizado. As suspeitas adensam-se porque em 2013 a revista sofreu um ataque semelhante depois de ter entrevistado Mikhail Khodorkovsky, um empresário russo conhecido por ser inimigo de Vladimir Putin.

A revista, fundada em 1943, tem-se mostrado crítica em relação a Moscovo nos últimos tempos. Esta é a primeira repreensão que recebe este ano – se nos próximos doze meses receber uma segunda, poderá ser obrigada a fechar as portas.

Putin tem-se esforçado para esconder pormenores sobre a sua vida privada. No entanto, nos últimos anos têm surgido informações que revelam que as suas duas filhas tiveram uma rápida ascensão nos cargos que atualmente ocupam. No ano passado foi revelada a identidade da filha mais velha do Presidente, Katerina Tikhonova, que aos 29 anos já é bilionária.