Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líder da milícia armada do Oregon apela a manifestantes para irem para casa

  • 333

Justin Sullivan/GETTY

“Por favor vão para casa e abracem as vossas famílias. Esta luta é nossa por agora nos tribunais”, disse Ammon Bundy. O pedido surge na sequência da detenção do líder da milícia e da morte do porta-voz do grupo, durante uma troca de tiros com a polícia

A ordem é de rendição. Embora evite essa palavra, Ammon Bundy, o líder da milícia armada que há 26 dias ocupa a Reserva Natural de Malheur, no estado norte-americano do Oregon, apelou esta quinta-feira aos manifestantes para regressarem a casa.

O pedido surge após a detenção do líder da milícia e de outros manifestantes, e da da morte do porta-voz do grupo, Robert LaVoy Finicum, na sequência de uma troca de tiros com a polícia.

“Para aqueles manifestantes que se mantêm na reserva, devo dizer-vos: amo-vos. Por favor saiam... Vão para casa e abracem as vossas famílias. Esta luta é nossa por agora nos tribunais”, declarou Michael Arnold, o advogado do líder do grupo, citando um comunicado do próprio.

Ammon Bundy explicou ainda que pediu às autoridades para deixarem os manifestantes regressarem a casa, sem serem alvo de processos.

Entretanto, outro dos manifestantes foi detido pelas autoridades. Jason Patrick confirmou à Reuters que vários manifestantes estão a responder ao apelo de Ammon Bundy, regressando a casa, contudo recusam a ideia de rendição. A luta é para continuar, garantem.

Na quarta-feira, as autoridades federais já tinham apelado ao grupo para que terminasse o protesto na reserva natural de Malheur de forma pacífica.

Autoridades alertam para consequências do protesto

“Deixem-me ser claro: São as ações e escolhas deste grupo armado que ocupa a reserva natural que nos levaram até onde estamos hoje. Eles têm uma boa oportunidade de deixar o local de uma forma pacífica e o FBI e os nossos parceiros das autoridades demonstraram claramente que as ações não podem deixar de ter consequências”, declarou o porta-voz da polícia federal.

Também o FBI fez apelos neste sentido, ainda que sublinhe que todos os manifestantes serão identificados pela polícia. “Vamos continuar a procurar uma forma segura de conseguir um fim pacífico para esta situação”, afirmou Greg Bretzing, diretor do departamento do FBI, em Portland.

“É tempo de todos os envolvidos nesta ocupação ilegal saírem. Não tem que ser um espisódio sangrento na nossa comunidade”, defendeu, por sua vez, o xerife de Harney County, Dave Ward.

Ammon Bundy e os outros detidos são acusados de “conspiração para impedir o desempenho dos deveres de funcionários dos Estados Unidos através do uso da força, intimidação e ameaças”.

Desde o passado dia 2 de janeiro que o grupo de manifestantes armados ocupa a Reserva Natural de Malheur, no Oregon, em solidariedade com Dwight Hammond e Steven Hammond, dois agricultores - pai e filho, de 74 e 56 anos - detidos por incendiarem terrenos públicos, entre 2001 e 2006.