Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ativista das Femen simula enforcamento em ponte de Paris

  • 333

CHARLES PLATIAU/REUTERS

Ativista pintou o corpo com a bandeira do Irão e pendurou-se na ponte Debilly, junto à Torre Eiffel, protestando contra o desrespeito pelos direitos humanos no país de Rouhani

Alberto Conceição

Uma ativista das Femen, grupo feminista conhecido por fazer manifestações em topless, simulou esta quinta-feira um enforcamento na ponte Debilly, em Paris, como forma de protesto contra a visita do Presidente do Irão à capital francesa. Numa tarja ao seu lado pode ler-se: “Bem-vindo Rouhani, carrasco da liberdade”. A feminista pintou o corpo com as cores da bandeira do Irão e colocou na cabeça uma coroa de flores, símbolo das Femen.

“Nós apenas quisemos que Rouhani se sentisse em casa”, escreveu num tweet Inna Shevchenko, líder da organização feminista.

A viagem do presidente iraniano, Hassan Rouhani, pelo Ocidente tem sido criticada por diversos ativistas defensores dos direitos humanos. A visita oficial do líder iraniano a Itália, que motivou a decisão de Roma de tapar estátuas de nus no Museu Capitolino, gerou alguma controvérsia.

Na origem do protesto em Paris está o desrespeito pelos direitos humanos no país de Rouhani e a crítica às penas de morte aplicadas no Irão.

A França e o Irão acertaram uma série de acordos negociais e de exportação, incluindo a venda de 114 aviões Airbus e de automóveis, numa tentativa de reavivar a relação já antiga entre Teerão e a marca francesa Peugeot.

A visita do presidente iraniano acontece na sequência do acordo internacional sobre o desarmamento nuclear alcançado entre o Irão e o Ocidente, que permitiu o levantamento das sanções internacionais impostas ao país.