Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Corpo encontrado perto de Manchester não é o de sobrevivente de acidente aéreo . Mistério continua

  • 333

Imagem do homem que terá morrido em dezembro numa colina dos arredores de Manchester divulgada pela polícia

DR

A polícia acreditava que o desconhecido encontrado morto, há mais de um mês, junto à zona onde em 1949 caiu um avião era Stephen Evans, uma criança na altura. Mas Evans está vivo e já contactou as autoridades

Stephen Evans está vivo e já falou com a polícia, o que só esclarece uma parte do mistério envolvendo a morte de um homem, encontrado numa colina nos arredores de Manchester, e que as autoridades admitiam ser o sobrevivente de um acidente aéreo ocorrido na zona, em 1949.

De acordo com a linha de investigação que aos olhos dos agentes parecia mais provável, havia razões para acreditar que o homem encontrado morto no dia 12 de dezembro por um ciclista em Dovestone Reservoir seria o indivíduo, na altura criança, que sobrevivera à queda de um Dakota (DC-3) da British European Airways, quando o aparelho realizava a ligação doméstica entre Belfast, capital da Irlanda do Norte, e Manchester, em Inglaterra.

Sem documento que o identificasse, telemóvel ou qualquer pista, além de 130 libras no bolso e três bilhetes de comboio - um deles para uma viagem de regresso a Londres -, a polícia ficou perante um intrigante mistério, que não conseguiu ainda esclarecer. Uma explicação possível seria a de que o homem, vestido elegantemente e com uma idade aparente entre os 65 e 75 anos, faria uma viagem solitária, para revisitar o local da tragédia.

A teoria caiu por terra esta quarta-feira, depois de Stephen Evans falar com a polícia. Atualmente com 72 anos, um respeitado académico e professor universitário, a viver em Southampton, Evans explicou que no acidente perdeu o irmão mais novo, ainda que os pais tenham, como ele próprio, sobrevivido.

“Lembro-me de terem aparecido escoteiros da área de Oldham e de me terem levado para uma quinta. Fizeram-me até membro honorário do seu grupo, mas já não tenho qualquer documentação disso”, disse, citado pelo jornal “Manchester Evening News”.

Polícia quase sem pistas

As investigações prosseguem, portanto, com a polícia a tentar encontrar respostas nos poucos pertences que o desconhecido transportava. Entre eles estava uma embalagem vazia de tiroxina de sódio - medicamento para tratar o hipotiroidismo.

Não sendo de admitir que a substância possa causar uma ‘overdose’, o remédio não explicará a morte, mas é mais uma pista a considerar.

O homem foi filmado pelas câmaras de segurança na estação de comboios de Ealing Broadway na sexta-feira 11 de dezembro, onde comprou um bilhete de comboio para Euston. Seguiu então de Londres para Manchester Piccadilly, onde permaneceu um pouco menos de uma hora, tendo sido visto a comprar alimentos.

Só depois se encaminhou para Dovestone Reservatório, subindo em direção ao local onde o seu corpo foi encontrado, apesar de num pub ter sido aconselhado a não o fazer, por já não ser possível regressar antes de cair a noite.

Fotos estão a ser distribuidas, na esperança de que alguém reconheça este homem misterioso, ao mesmo tempo que um segundo exame post-mortem será realizado na próxima semana.