Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Al-Qaeda rapta missionária suíça pela segunda vez

  • 333

DR

Chama-se Beatrice Stockly e surge num vídeo divulgado pela Al-Qaeda, onde se pede a libertação de presos da organização terrorista em troca da missionária. Beatrice já tinha sido raptada em 2012

A filial da Al-Qaeda no Norte de África fez refém uma missionária suíça, pela segunda vez. Beatrice Stockly, que já tinha sido raptada por militantes islamitas em 2012, apareceu esta terça-feira num novo vídeo realizado pela Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI), noticia a CNN.

Na gravação, com aproximadamente oito minutos, um homem mascarado e com sotaque britânico exige a libertação de outros presos em troca da missionária. Beatrice aparece vestida com um véu (hijab) e refere que foi raptada no Mali.

No inicio deste mês, o ministro suíço dos Negócios Estrangeiros tinha tido conhecimento do rapto de uma missionária suíça e chegou a convocar uma “missão” para tentar a sua libertação. Segundo a imprensa internacional, Beatrice Stockly foi raptada no inicio de janeiro na sua casa em Tombuctu, uma cidade no centro do Mali. Há quatro anos, foi levada exatamente daquele sítio.

Em abril de 2012, militantes islamitas sequestraram a missionária, libertando-a uns dias depois. As suspeitas apontavam para o grupo islamita Ansar al-Din. No entanto, no vídeo divulgado esta terça-feira, a AQMI — grupo com raízes na Argélia — reivindica a autoria do rapto de há quatro anos.