Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cansado de esperar, atropelou e agrediu empregados até à morte

  • 333

Aconteceu na Índia, há cerca de um ano: o agressor chama-se Mohammed Nisham, é multimilionário e foi condenado a prisão perpétua

Tudo começou quando Chandrabose, que trabalhava para o multimilionário Mohammed Nisham, estava a tentar abrir a porta da garagem para que o seu patrão pudesse estacionar. O patrão irritou-se com a demora na abertura da porta, e atropelou Chandrabose, sem que este tivesse sequer tido a oportunidade de perceber que estava a irritar o rico homem de negócios.

Não contente, e muito menos arrependido, por ter atropelado o vigilante com o seu pesado Hummer, Nisham, irado e colérico, saiu do carro e começou a gritar: “Este cão não vai morrer”, ao mesmo que batia no homem.

Chandrabose morreu umas semanas depois no hospital. E, um ano depois, o tribunal de Kerala condenou o milionário de 39 anos a prisão perpétua. Nisham foi também condenado a um agravamento suplementar de 24 anos de prisão por outros delitos, e a uma multa de oito milhões de rupias (110 mil euros), metade da qual será entregue à família de Chandrabose.

A família de Chandrabose vai recorrer da decisão do tribunal, porque considera que Nisham vai acabar por ser bem tratado na prisão.

“Ricos tornaram-se egocêntricos e megalómanos”

O empresário tentou evitar este desfecho: entre a altura em que tudo aconteceu, há cerca de um ano, e a condenação agora conhecida tentou pagar uma fiança para evitar ser detido. Também alegou sofrer de transtorno bipolar. Mas o Supremo Tribunal da Índia rejeitou a caução e a argumentação psiquiatrica.

Os juízes entenderam que a atitude de Nisham é “um exemplo de como os ricos se tornaram totalmente egocêntricos e megalómanos”.