Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia Marítima portuguesa resgata 22 crianças em Lesbos

  • 333

Refugiados e migrantes são retirados da ilha de Lesbos, onde chegaram depois da perigosa travessia do mar Egeu

ALKIS KONSTANTINIDIS/REUTERS

Os menores encontravam-se no interior de uma embarcação em risco, no mar Egeu

A Polícia Marítima portuguesa salvou 22 crianças que se encontravam num bote prestes a afundar, a meio da travessia entre a Turquia e a Grécia, onde se encontravam dezenas de pessoas em pânico.

A operação de salvamento, hoje anunciada por esta polícia, ocorreu na sexta-feira quando a patrulha detetou um bote “coberto de água”, com dezenas de migrantes e refugiados a necessitar de socorro.

De acordo com a mesma fonte, os ocupantes da embarcação encontravam-se “totalmente molhados e prestes a entrar em hipotermia”, face às baixas temperaturas na região da ilha de Lesbos.

“Do bote, em grandes dificuldades, foram resgatados 52 emigrantes, dos quais 22 bebés e crianças, sete mulheres e 23 homens”, afirma a Polícia Marítima, indicando que uma mulher tinha uma perna partida e um idoso tinha mobilidade reduzida.

O primeiro apoio foi prestado no barco de transporte até ao porto de Skala SiKaminea, com mantas térmicas. No porto encontravam-se várias organizações e médicos que ajudaram no desembarque e assistência.

A Polícia Marítima encontra-se em Lesbos desde 1 de outubro, integrada na missão “Poseidon Rapid Intervention”.

Até agora, a equipa resgatou mais de 2.153 pessoas que corriam risco de vida, entre as quais 527 bebés e crianças.

A PM vai manter o apoio à guarda costeira grega integrada na missão Frontex até 30 de setembro.